Clinipam apresenta sua nova logomarca

Clinipam apresenta sua nova logomarca

É com grande orgulho e satisfação que a Clinipam passou a fazer parte do Grupo NotreDame Intermédica – GNDI, no último mês de fevereiro. E agora vamos assumir essa marca em nossa identidade corporativa. Nosso objetivo continua o mesmo: oferecer assistência à saúde de forma integral e com muita qualidade, com o melhor custo benefício do mercado.A partir de agora, você oficialmente passa a ser atendido pelo Grupo NotreDame Intermédica: a maior operadora de saúde do país e que possui tradição no mercado de medicina privada. Seja bem-vindo(a)!Traduzindo esse espírito, a primeira campanha da Clinipam após ter se tornado uma empresa Grupo NotreDame Intermédica é a Somos Um. Nela, homenageamos cada profissional da Clinipam que trabalha incansavelmente, todos os dias, dando o seu melhor nessa batalha contra um inimigo invisível: o novo Coronavírus. Com o mote “Mais que juntos, somos um”, o objetivo do vídeo é agradecer a dedicação e o comprometimento de toda a equipe, sobretudo, nesse tempo de pandemia. Veja a seguir:

Na Clinipam, Gelise encontrou seu propósito de vida

Na Clinipam, Gelise encontrou seu propósito de vida

“Grandes realizações são possíveis quando se dá importância aos pequenos começos”. Essa frase de Lao Tsé, um filósofo chinês e cabe como uma luva para a trajetória profissional de Gelise Wantowsky Ferreira, gerente técnica do Laboratório Bom Jesus. A carreira dela é marcada por uma eterna reconstrução, desde que foi contratada pela Clinipam em 1990. Durante os 18 anos que Gelise ficou na bancada do laboratório foi protagonista de muitas mudanças e sempre as encarou com muito otimismo. Logo que assumiu sua função no Laboratório Bom Jesus foi responsável pela reformulação de todo o estabelecimento para atender às exigências da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e também da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). “Isso foi só o começo. O perfil dos clientes da Clinipam foi mudando e o mercado ficando cada vez mais exigente. Caminhei junto com a empresa e nosso crescimento foi mútuo. Tive que me aprimorar para ajudar a empresa a evoluir. Sempre nos adaptamos às tendências do mercado, com a aquisição de equipamentos de controles de qualidade e adquirimos muito conhecimento em congressos e palestras internacionais. Todo nosso dinamismo refletiu em bons resultados para Laboratório Bom Jesus e conseguimos, cada vez mais, dar mais segurança aos pacientes”, diz Gelise. A gerente técnica do Laboratório Bom Jesus acredita que encarou todos os desafios com muito otimismo e que herdou esse espírito empreendedor do pai, que era comerciante. “Gosto de novidades, mudanças e projetos, isso é o que me move. Tenho esse lado de empreendedora, corro atrás e acredito que as coisas vão dar certo. Tudo isso aprendi com a convivência com o meu pai, que me dizia que não devemos agir com medo diante das mudanças”, relata Gelise. Recentemente, quando assumiu a gestão do Laboratório Bom Jesus, se deparou com o maior desafio da sua carreira: abandonar o trabalho técnico e objetivo que exercia na bancada como bioquímica, para se dedicar a desenvolver as pessoas. “Eu tenho esse perfil técnico e passei por uma transição para conseguir desenvolver as habilidades para a gestão de pessoas. E foram meus colegas que me ajudaram muito. Aprendo com eles diariamente”, conta Gelise. No último mês de abril, ela completou 30 anos na Clinipam. Já está aposentada há quatro anos, mas sente que não chegou ainda ao seu destino final. Gelise tem muito combustível para trabalhar, aprender e se desenvolver cada vez mais. Durante todo esse tempo a gestora cuida da Clinipam e dos seus clientes como se a empresa fosse sua. Ela faz mais que vestir a camisa: dá atenção aos pequenos detalhes, como apagar uma luz acesa para economizar energia e diminuir os custos do negócio. Todas essas atitudes criaram nela uma sensação de “pertencimento”, que liga seu projeto pessoal, seu propósito de vida, à Clinipam. E é por isso que a aposentadoria não está nos planos de Gelise. Obrigada por toda sua dedicação, Gelise. Desejamos a você uma vida longa para que continue crescendo e alçando novos voos, junto com a Clinipam.

Câncer colorretal tem cura

Câncer colorretal tem cura

Colonoscopia é o exame indicado para prevenir e detectar tumores iniciais no reto e no intestino e devem ser realizados a partir dos 50 anosVocê sabia que o câncer colorretal é o terceiro tipo de câncer mais frequente nos homens e o segundo entre as mulheres? As informações são do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Por isso, é importante conscientizar a população sobre investir na prevenção para evitar esses tipos de tumores que têm origem nos pólipos, pequenas elevações na parede do cólon ou do reto. Conforme a oncologista da Clinipam, Gisah Guilgen, é por meio da colonoscopia que os médicos conseguem identificar os pólipos e retirá-los, antes que cresçam e se tornem tumores. “Recomendamos que a colonoscopia seja realizada por todos, a partir dos 50 anos. Pessoas que possuem um histórico familiar, de câncer de intestino em parentes de primeiro grau, devem fazer esse exame dez anos antes, já aos 40 anos”, orienta a profissional. Ela acrescenta que outra medida preventiva é buscar ajuda junto aos onco geneticistas, que vão avaliar a necessidade de realizar estudos genéticos em pacientes com predisposição a essa doença. Muitas vezes, o câncer colorretal é silencioso. Em outras situações, os pacientes têm mal funcionamento do intestino: diarreias ou constipação, que fogem ao padrão habitual. “Alguns doentes apresentam sangue nas fezes a acreditam que a causa está associada à hemorroida. Por isso, os médicos alertam que os indícios de mau funcionamento do trato intestinal devem ser investigados”, diz Gisah. Outros sintomas colorretais de câncer sãos as dores abdominais contínuas, na parte de baixo, emagrecimento e o surgimento de anemia verificada no exame de sangue, sem uma causa aparente. De maneira geral, os tratamentos para câncer colorretal são a cirurgia e a quimioterapia. O oncologista clínico é o especialista que vai julgar a necessidade de quimioterapia. “É importante ressaltar que o câncer colorretal tem cura, eventualmente mesmo em casos de doença mais avançada, finaliza a Dra Gisah.

Atividade física na quarentena: como fazer exercício em casa

Atividade física na quarentena: como fazer exercício em casa

Nesse post trazemos dicas de exercício fácil e rápido e que pode ser feito num espaço de 2 metros quadrados. Vamos começar?Manter-se ativo na quarentena faz bem para o corpo e para a mente. Quando fazemos atividade física liberamos a endorfina, neuro-hormônio produzido pela glândula hipófise. Essa substância aumenta as produções de hormônios que geram energia e felicidade, como a adrenalina e o cortisol. Por isso, a endorfina é uma grande aliada em tempos de isolamento social: ameniza o estresse, a ansiedade e a depressão - efeitos colaterais da pandemia sentidos por grande parte da população. Há vários profissionais que ensinam como fazer exercício em casa na internet e, definitivamente, falta de espaço e orientação não são desculpas para ficar parado. Aqui na Clinipam criamos o Programa Saúde em Casa, que traz aulas online especialmente para o público 50+ fugir do sedentarismo e dedicar umas horinhas do dia para cuidar da saúde física e mental. Os conteúdos são bem amplos e todos os beneficiários, não importa a idade, podem aproveitar as vídeo aulas de yoga e fortalecimento muscular, por exemplo. E, no post de hoje, criamos um guia com dicas de exercício fácil e rápido, que pode ser feito na sala da sua casa. Vamos mexer esse esqueleto? 1. Agachamento na cadeira: é indicado para fortalecer pernas e bumbum. O movimento consiste na flexão e na extensão dos joelhos e quadril, como fazemos para sentar e levantar. Comece com 3 séries de 15 repetições. 2. Prancha: é excelente para fortalecer o abdômen. Nela, a coluna e a pelve são a base de praticamente todos os movimentos e ficam bem sustentadas. Comece pela posição quatros apoios, com as mãos e joelhos apoiados no chão. Depois, abaixe seus antebraços até encostar os cotovelos no solo, de modo que fiquem bem abaixo dos ombros. O ângulo entre o corpo e os braços deve ser de 90º. Bem devagar, abaixe o bumbum de modo que seja formada uma linha reta dos calcanhares até o topo da cabeça. Seu olhar deve estar voltado ao chão. Por fim, é só se concentrar e permanecer na posição. Comece com 15 segundos e vá aumentando o tempo diariamente. 3. Afundo: o objetivo desse exercício é fortalecer as pernas e os glúteos. Deixe os pés alinhados com os ombros. Dê um passo para trás com o pé esquerdo. Dobre os joelhos criando ângulos de 90 graus com as pernas. Faça com que o a parte de trás joelho fique a cerca de 90 centímetros do chão. Quando estiver abaixado, mantenha os ombros alinhados com os quadris e o peito na posição vertical, e não para frente ou para trás. Nesta posição a canela direita fica perpendicular ao chão e joelho direito acima do tornozelo direito. Seu bumbum está contraído e o abdômen firme. Retorne a posição inicial e repita com a outra perna. Comece com 3 séries de 15 repetições. 4. Polichinelos: é utilizado em vários programas de treinamento nas academias e é ideal para quem quer emagrecer, melhorar o condicionamento físico e para o aquecimento. Antes de iniciar o movimento é necessário estar de pé, com os braços ao lado do corpo e as pernas fechadas. Logo depois, efetuar um pequeno salto, movendo as mãos acima da cabeça e as pernas se afastando lateralmente. Efetuar outro salto retornando os braços e pernas à posição inicial. Repetir o movimento pelo tempo ou número de repetições programado. 5. Pular cordas: os pulos são recomendados para todas as idades para conquistar e manter a boa forma. Esse é fácil: afinal, quem nunca pulou cordas quando era criança? É igual a andar de bicicleta e dirigir: você saberá sempre como fazer. Ajuda melhorar o equilíbrio e a coordenação motora e também é excelente para perder calorias. Quer dar um up nos exercícios? Confira nossas videoaulas de fortalecimento muscular e yoga do Saúde em Casa:

Obesidade infantil no Brasil aumentou 10 vezes em quatro décadas

Obesidade infantil no Brasil aumentou 10 vezes em quatro décadas

Na Clinipam, crianças e adolescentes participantes do Programa Mova-se, que oferece orientações sobre como mudar hábitos a fim de evitar as consequências da obesidade infantilDesenvolvido para atender famílias que precisam de orientação e estímulo para mudar o estilo de vida adotando hábitos saudáveis, o Mova-se atende as crianças e adolescentes e faz parte do Centro de Qualidade de Vida (CQV) da Clinipam. O programa é ofertado gratuitamente a pacientes em tratamento realizado pelo Ambulatório de Obesidade Infantojuvenil, da Unidade da Criança. Trata-se de mais uma frente da operadora no compromisso de atuar sob as premissas da medicina preventiva – desde a infância, tratando a causa da obesidade infantil. O programa possui quatro meses de duração. E nesse tempo, as crianças e adolescentes mostram dedicação e força de vontade para fazer as pazes com a balança. “Os resultados do Mova-se são excelentes, pois é fantástico ver como as crianças e seus familiares conseguem absorver os aprendizados e iniciaram as mudanças que farão toda a diferença a partir de agora e no futuro”, celebra Taciana Bonet, gerente executiva da Coordenação do Cuidado. Ela salienta que o envolvimento familiar é crucial na inserção e manutenção de escolhas positivas e benéficas à saúde. A médio e longo prazo, quando não tratada corretamente, a obesidade infantil pode causar ansiedade, irritabilidade e problemas sociais. “Buscar ajuda e mudar comportamentos melhora o sono, auxilia na imunidade e previne doenças mais sérias, como diabetes, pressão alta, problemas cardíacos e até mesmo alguns distúrbios psicológicos”, ressalta Taciana. Dados de uma pesquisa do Ministério da Saúde em parceria com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), trazem informações alarmantes sobre a obesidade infantil no Brasil: nas últimas quatro décadas, o número de crianças e adolescentes de até 17 anos com sobrepeso aumentou em 10 vezes, sendo 13% dos meninos e 10% das meninas, nessa faixa etária. O estudo, que contou com entrevistas por telefone, revela ainda que 53% dos brasileiros estão acima do peso e 45,8% praticam atividade física insuficiente. Como prevenir a obesidade infantil Diante do cenário, a nutricionista especialista em Materno Infantil, Stephany Menezes, reforça que certas atitudes precisam começar ainda na gestação e fazer parte da rotina: da gravidez à introdução alimentar (aos seis meses de idade) e ao longo da vida. “Devemos deixar de lado os doces, refrigerantes, salgadinhos de pacote e guloseimas em geral”, exemplifica. E completa: “os pais são espelhos para os filhos, ou seja, o que for consumido por eles será copiado. Quanto mais cedo iniciarmos o processo, mais significativos serão os resultados”, alerta. Atualmente, o que se vê é que muitas famílias acabam recorrendo às opções processadas - ofertadas indiscriminadamente nas prateleiras dos supermercados - como uma alternativa rápida diante da correria do dia a dia. “Porém, na infância, a alimentação saudável é de extrema importância para o crescimento e desenvolvimento, assim como praticar esportes”, adverte a nutricionista. Segundo ela, somado ao fato de que hoje em dia os pequenos passam muito tempo em frente às telas, o sedentarismo tem contribuído para elevar as taxas de obesidade infantil. “Raramente saem de casa para brincar e ainda consomem alimentos pobres em nutrientes e ricos em calorias vazias, que não agregam em nada”, lamenta. Nunca é tarde para rever hábitos Adotar uma dieta equilibrada e deixar o sedentarismo de lado não requer apenas coragem, mas também muito aprendizado e autoconhecimento. Atenta a essa necessidade, a Clinipam reforça a importância da prevenção por meio da força-tarefa que une conscientização e bem-estar, incluindo fazer as pazes com a balança - evitando assim os males relacionados ao excesso de peso. “Para isso, os programas do CQV estão à disposição dos pais e responsáveis para que busquem auxílio e tirem dúvidas relacionadas à nutrição, emagrecimento e exercícios”, orienta a gerente, Taciana Bonete. Ministrado por uma equipe multidisciplinar - formada por médicos, educadores físicos, psicólogos e nutricionistas -, no Mova-se a programação é bastante variada no intuito de ser atrativa para todos. “Os encontros são dinâmicos e incluem aulas para o preparo de refeições saudáveis, jogos, atividades lúdicas, tarefas a serem cumpridas em casa e acompanhamento emocional”. Segundo Taciana, é importante que os pais fiquem atentos, porque nem sempre uma criança com sobrepeso ou obesidade aparenta estar acima do peso. “A orientação é que verifiquem como está a relação peso e altura nas consultas ao pediatra”. Não à toa, os pacientes que participam do Mova-se são indicados conforme avaliação médica.

Conheça as modalidades de telemedicina da Clinipam

Conheça as modalidades de telemedicina da Clinipam

Desde o início da pandemia do novo Coronavírus a Clinipam segue as medidas determinadas pelo Ministério da Saúde, ANS e pelas Secretarias Estaduais de Saúde de Santa Catarina e do Paraná. Agora, para você continuar seu tratamento com os nossos especialistas em casa e em segurança, basta agendar uma consulta por telemedicina.Além disso, mesmo antes da pandemia já contávamos com o Dr. Clinipam: aplicativo de orientação de saúde exclusivo para beneficiários. Agora, o app funciona 24h, todos os dias, ajudando pacientes com qualquer sintoma, para evitar uma ida desnecessária ao pronto atendimento. O que é e para que serve a telemedicina?A telemedicina é a prestação de serviço médico à distância utilizando meios tecnológicos de informação para isso, como telefone, aplicativo, videochamada, entre outros. Aqui na Clinipam, você pode agendar consultas por telemedicina com diversos especialistas, e, inclusive, pode dar continuidade ao tratamento que já faz com seu médico.Para que devo usar o Dr. Clinipam?Está sentindo algum incômodo e não sabe se deve ir ao pronto atendimento? Precisa da ajuda de um médico ou dar continuidade a um tratamento? No aplicativo Dr. Clinipam você terá resposta para isso! Por ele, você entra em um chat com enfermeiros e médicos que vão realizar perguntas para entender melhor seu caso. A equipe do Dr. Clinipam também possui acesso ao seu prontuário online, ajudando na assertividade da orientação.  E o melhor: o atendimento no aplicativo é realizado 24h, todos os dias. Se a equipe averiguar que você precisa ser examinado presencialmente, irá te indicar a qual unidade Clinipam deve ir (Boqueirão para casos respiratórios e Pinheirinho para demais casos).E se meu caso exigir que um médico me examine presencialmente? A telemedicina e o Dr. Clinipam não substituirão todas as consultas presenciais. Elas são formas de você obter contato e orientação médica sem ter que se deslocar até a unidade. Se o seu caso exigir uma consulta presencial, o médico irá fazer essa solicitação. Como eu agendo uma consulta por telemedicina?Basta agendar pela Central de Atendimento do seu estado ou aplicativo Clinipam:Paraná: (41) 3021-3001 ou pelo WhatsApp.Santa Catarina: (47) 2123-3000 ou pelo WhatsApp.App Store (iOS/Iphone): https://apple.co/3buXhaqPlay Store (Android): https://bit.ly/app-clinipam- Se você já possui o aplicativo, basta clicar no ícone "Agendar consulta" na tela inicial.Como faço para me consultar no aplicativo Dr. Clinipam?1. Baixe o app na loja de aplicativo do seu celular (App Store (iOS/Iphone): bit.ly/dr-clinipam-ios | Play Store (Android): bit.ly/dr-clinipam-android) ou, se já tiver o app Clinipam, clique no ícone que leva para o Dr. Clinipam. Para logar, basta utilizar login e senha que você usa na área do beneficiário ou app da Clinipam.2. Após efetuar o login, clique em “Novo atendimento” e relate seu caso. Nossa equipe irá te responder brevemente. 3. Caso você precise checar um atendimento anterior, role a tela inicial do app e clique em “Atendimentos”. Todas suas consultas com o Dr. Clinipam ficam registradas ali. Preparamos algumas orientações para que a sua consulta por Telemedicina seja excelente! Veja no vídeo: Se você ainda tiver dúvidas, fale conosco! Ficaremos felizes em te ajudar: Central de Atendimento: Paraná: (41) 3021-3001 | Santa Catarina: (47) 2123-3000Fale Conosco: acesse a área do beneficiário > clique em ‘canais de atendimento’ no menu superior > clique em ‘fale conosco’ e em ‘novo contato’. Preencha o formulário e clique em salvar. Em breve nossa equipe irá responder para o telefone e/ou e-mail cadastrado.Facebook: http://facebook.com/clinipam | Instagram: http://instagram.com/clinipam

Clinipam apoia projeto “Solidariedade que Aquece”

Clinipam apoia projeto “Solidariedade que Aquece”

Iniciativa do Grupo Marista conecta doadores e entidades que precisam de doação durante pandemia do Coronavírus A solidariedade é a principal arma para combater os efeitos negativos do Coronavírus. Todos os dias, acompanhamos na imprensa ações de organizações de várias partes do mundo que se mobilizam para oferecer ajuda para aqueles que estão em situação de vulnerabilidade. Uma dessas inciativas é o “Solidariedade que aquece”, promovido pela Província Marista Brasil Centro-Sul, do Grupo Marista e da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR, da qual a Clinipam é apoiadora. O projeto é um multiplicador de anúncios de doações e atitudes positivas em todo o Brasil. O objetivo é manter corações aquecidos e pessoas protegidas durante o período de distanciamento social, necessário para conter o avanço da pandemia.  O pilar do projeto é o portal Solidariedade que aquece (http://solidariedadequeaquece.com.br/) que conecta doadores e prestadores de serviços a pessoas físicas ou jurídicas que estão precisando de ajuda. Além disso, a plataforma confere visibilidade às ações solidárias que estão sendo realizadas nesse momento, como distribuição de alimentos, doação de produtos de higiene pessoal e até disponibilização de atividades online para entreter as crianças que estão em casa. As iniciativas são divulgadas no portal em formato de anúncios. Desse modo, as empresas e pessoas físicas oferecem o que querem doar. Já quem precisa de doações consegue fazer buscas no site por meio de filtros como tipo de doação e localidade e entrar direto em contato com o doador. A Clinipam recebeu o selo digital “Solidariedade que Aquece – EU APOIO” e vai divulgar no seu site, aplicativo e redes sociais essa iniciativa para seus beneficiários, colaboradores e seguidores. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (41) 3271-6489 ou pelo e-mail contato@solidariedadequeaquece.com.br.

Acesse seu Informe de Rendimentos para Imposto de Renda no site da Clinipam

Acesse seu Informe de Rendimentos para Imposto de Renda no site da Clinipam

Fazer a declaração do Imposto de Renda não é tarefa fácil e muitos precisam até da ajuda de um contador. Nesse caso, o declarante deve disponibilizar para esse profissional o Informe de Rendimentos e o Demonstrativo Imposto de Renda. O prazo para prestar as contas à Receita Federal foi estendido em 2020 para 30 de junho, em razão da pandemia. Lembre-se que os gastos com plano de saúde individual, familiar ou empresarial são dedutíveis da base de cálculo do imposto e também devem ser inclusos no Informe de Rendimentos. Todos os custos destinados ao plano de saúde devem ser declarados na ficha de “Pagamentos Efetuados”, no código 26 do Imposto de Renda para quem faz a declaração completa. O declarante precisa informar o CNPJ, o nome da operadora, o valor pago e as parcelas reembolsadas. Os gastos com dependentes, caso possua, devem constar na declaração.  Se você for fazer o preenchimento da declaração sozinho, siga as orientações do Informe de Rendimentos que está sendo disponibilizado pela em nosso site. O programa do imposto de renda 2020 permite que o informe enviado pelas operadoras seja importado, agilizando o preenchimento por parte do contribuinte. Basta selecionar o botão “importar arquivo do plano de saúde” na ficha Pagamentos Efetuados. Caso seu plano de saúde seja pago integralmente por seu empregador, esse gasto não precisa ser informado.  Caso enfrente algum problema para retirar o Informe de rendimentos, entre em contato conosco.  

Puerpério: Como fica a saúde física e mental depois do parto?

Puerpério: Como fica a saúde física e mental depois do parto?

Chamado de resguardo por nossas avós, esse período que dura, em média, 42 dias após o parto, é marcado por mudanças físicas e psicológicas A frase é clichê, mas é verdadeira: quando nasce um bebê, nasce uma mãe. Esse é um dos momentos mais especiais na vida de grande parte das mulheres. É uma etapa cheia de emoção e encantamento e também de mudanças intensas, física e emocionalmente, para a mãe. Essa fase que dura em torno de 42 dias – 6 semanas – é chamada de puerpério. Nossas avós designavam esse período como ‘resguardo’ e cuidavam com carinho das mamães com uma dieta leve, a base da famosa canjinha. De fato, as mulheres precisam de apoio e de alguns cuidados especiais no puerpério. É que o corpo delas que sofreu muitas mudanças para abrigar o bebê vai passar por novas transformações, agora para voltar aos padrões anteriores à gestação e para cuidar daquele serzinho que depende muito dos seus pais. Para isso, os níveis de hormônios se alteram, o útero começa a diminuir, há descamação da decídua (camada que reveste a parte interna do útero durante a gestação) que causa o sangramento vaginal. As mamas também aumentam porque a produção de leite está a todo vapor. Segundo a enfermeira obstétrica Mayara Paiva Santos, nesse período, é comum que as mamães fiquem chorosas, fadigadas, com falta de libido entre outros sintomas. “A instabilidade de humor pode ser definida como Baby blues ou depressão pós-parto. E caso você se sinta emocionalmente abalada, não se preocupe: busque ajuda com o profissional que te acompanhou durante o pré natal”, informa Mayara. E para preservar a sua saúde, as mulheres que que acabaram de dar à luz devem tomar alguns cuidados, como: realizar repouso relativo; não fazer atividades que exijam grande esforço físico; alimentar-se de maneira equilibrada sem excessos de gorduras, açúcares e sal; manter-se hidratada; observar o sangramento e alterações nas mamas; e acompanhamento médico pós-parto. E se a mamãe sentir dores intensas no baixo ventre; sangramento intenso ou com odor fétido; febre; alterações nas mamas (dor, edema e vermelhidão) é sinal de que ela precisa procurar ajuda médica. Dúvidas frequentas sobre o pós-parto 1. Quando os exercícios físicos estão liberados?  As mamães que passaram por parto normal podem retomar as atividades após 15 dias ou conforme a orientação do profissional que acompanhou seu pré-natal ou sua internação. Já aquelas que realizaram a cesárea devem esperar 45 dias para se exercitar ou conforme a orientação. Um alerta especial para as mulheres que tiveram diabetes gestacional: é muito importante manter uma alimentação controlada, sem excessos de açúcares e sal, e, se possível, realizar atividade física, controlar o peso e manter acompanhamento médico. 2. Como cuidar das mamas? Prefira sutiã de alças largas com boa sustentação, evitar modelos aramados e/ou com bojo. Não utilize conchas ou absorventes devido ao risco da proliferação de fungos por manterem o local úmido e aquecido. Observe se a pega do bebê está correta para evitar fissuras. Não passar buchas, fazer esfoliação ou passar creme hidratante. Tudo isso deixa a mama sensível, favorecendo a ocorrência de fissuras. 3. Como cuidar do corte da cirurgia? O corte da cesárea também merece cuidado especial. A região deve ser lavada com água e sabão durante o banho. Secar bem toda essa área. De acordo com as evidências científicas a retirada deve ocorrer entre 8-10 dias pós-parto, consulte os locais para retirada pelos Canais de Atendimento do Gestante Bem Cuidada da Clinipam. Nos casos da episiotomia a higienização com água e sabão também deve ser feita após as necessidades fisiológicas. Já os pontos devem cair sozinhos. 4. Quando as mamães devem voltar a tomar anticoncepcional? O uso de anticoncepcional está liberado 40 dias após parto, lembrando que na fase de lactação não é recomendado uso de pílulas que contenham estrogênio. 5. Quais as principais recomendações na hora de voltar ao trabalho? As licenças maternidade variam de 4 a 6 meses no Brasil e as mamães precisam estar conscientes e se programar para a nova rotina. Elas devem prever quanto tempo vão demorar para se arrumar, para amamentar e dar de mama para o bebê e prepará-lo para sair de casa, além de separar seus pertencer para levar para o berçário ou para a casa da vovó. O tempo de deslocamento para o trabalho, considerando a parada para deixar o bebê, também deve ser contabilizado para que você não se atrase. Esse momento é carregado de muita ansiedade por grande parte das mamães. Se for o seu caso, lembre-se que essa é uma fase de adaptação e que logo tudo estará dentro da normalidade. E nós temos uma boa notícia: até aquele aperto no peito que acomete muitas mulheres na hora de se separarem dos filhotes após a licença-maternidade é passageiro! 6. Como armazenar o leite materno O leite materno dura 12 horas na geladeira ou 15 dias no congelador e deve ser armazenado em vidros esterilizados e com tampa de plástico. Para servir ao bebê usar o banho-maria para aquecer. E atenção: o leito aquecido que não foi consumido deve ser descartado e não pode voltar para a geladeira ou congelador. No trabalho, as mulheres devem procurar um local reservado, tranquilo e sem muito barulho para fazer a esgota manual das mamas. Não esquecer também das medidas de higiene como lavar bem as mãos e prender os cabelos. Até os seis meses do bebê, as mulheres têm direito a 2 intervalos de 30 minutos para amamentar.

Vídeo homenageia colaboradores da Clinipam na luta contra a pandemia

Vídeo homenageia colaboradores da Clinipam na luta contra a pandemia

Não importa o cargo e nem a hierarquia: todos os colaboradores da Clinipam estão juntos e cumprem um papel essencial no combate ao novo Coronavírus. E é esse espírito de união que é o tema da primeira campanha da Clinipam após ter se tornado uma empresa Grupo NotreDame Intermédica. O vídeo institucional vai ao ar nesta quarta, dia 13 de maio, nas emissoras Globo, SBT e Globonews, em Curitiba e região. Ela também contará com painéis de mídia exterior e mídia digital no Paraná e Santa Catarina (YouTube, Facebook, Instagram e LinkedIn). Com o mote “Mais que juntos, somos um”, a campanha valoriza cada profissional da Clinipam que trabalha incansavelmente, todos os dias, dando o seu melhor nessa batalha contra um inimigo invisível: o novo Coronavírus. O objetivo do vídeo é justamente agradecer a dedicação e o comprometimento de toda a equipe, sobretudo, nesse tempo de pandemia. Esse é o nosso jeito de começar a agradecer cada um dos nossos colaboradores e dizer ao mundo que no combate ao Coronavírus, mais que juntos, somos um. 

Clinipam conquista 3 troféus em premiação da ABRH-PR

Clinipam conquista 3 troféus em premiação da ABRH-PR

Operadora é reconhecida em duas categorias; prêmios são uma chancela da preocupação da empresa com seus colaboradores em vertentes como saúde emocional, comunicação e formação profissionalA Associação Brasileira de Recursos Humanos no Paraná (ABRH-PR) divulgou, na última semana, os vencedores da edição 2019 do Prêmio Ser Humano, premiação promovida pela entidade que reconhece as melhores práticas das empresas na área da gestão de pessoas. Na categoria “Administração” a operadora ganhou o bronze com o projeto “Eu em equilíbrio”, uma iniciativa dirigida para a saúde mental dos colaboradores que têm grande impacto na qualidade de vida desse público. “Somos uma empresa que oferece cuidados com a saúde de forma integral para nossos beneficiários. Por isso, fazemos a lição de casa e cuidados também do bem-estar da nossa equipe. Nossos colaboradores são os clientes do departamento de recursos humanos e merecem ser cuidados pela operadora com a mesma atenção prestada aos nossos beneficiários”, diz Cintia Becker, coordenadora de Gestão de Pessoas da Clinipam.  Ela destaca que, nos últimos quatro anos, os transtornos mentais foram a terceira maior causa de afastamento dos trabalhadores brasileiros. “Não queremos que nossos colaboradores façam parte dessas estatísticas. Nossa intenção é criar um clima organizacional saudável para trabalhar, por isso, investimentos na saúde emocional da nossa equipe”, diz Cintia.  O “Eu em equilíbrio” faz parte de um programa na área de Gestão de Pessoas bem completo, batizado de “Jeito de ser Clinipam”, apoiado numa visão integral do ser humano. Dessa forma, o Jeito de Ser contempla nove dimensões: SER Econômico, SER Social, SER Sustentável, SER Moral, SER Cultural, SER Equilíbrio, SER Saudável, SER Atual e SER Inspirador.  O “Eu em equilíbrio” atua na vertente SER Equilíbrio e foi criado com o objetivo de abordar aspectos da saúde emocional do indivíduo, envolvendo desde uma capacidade adequada de gerenciamento das tensões e estresse de forma que contribuam para as boas decisões e cuidado em relação à vida. “O Programa, implantado em abril de 2019, promove ações voltadas para atendimentos psicológicos individuais, em grupos, ações em promoção à saúde e acompanhamento e monitoramento do bem-estar e da qualidade de vida dos colaboradores da Clinipam”, informa Cintia.  Dobradinha na categoria DesenvolvimentoNa categoria Desenvolvimento a Clinipam arrematou dois prêmios: o segundo lugar com o Programa Talkers e o primeiro lugar com o projeto Unidade Escola. “Fomos surpreendidos com dois reconhecimentos na mesma categoria e esse resultado é uma chancela de que estamos no caminho certo”, afirma a coordenadora de Gestão de Pessoas.  O Programa Talkers atua na comunicação, um processo elementar inclusive nas relações de trabalho. “Valorizamos a comunicação porque entendemos que essa é uma ferramenta capaz de promover o bom relacionamento na organização. No entanto, não queremos que ela seja apenas unilateral e arbitrária, ou seja, por meio de murais, comunicados internos, newsletter, e-mails, entre outros. Com o Talkers conseguimos trabalhar as demais dimensões relacionais àquilo que compreendemos como uma comunicação assertiva e eficaz. Uma das queixas da nossa equipe era de que as coisas acontecem muito rápido na empresae, nem sempre, os colaboradores conseguiam acompanhar todas as notícias”, conta Cintia.  Com o Programa Talkers esse ‘gap’ na comunicação da Clinipam foi resolvido. A iniciativa contempla um grupo de 59 colaboradores, formados por um representante de cada setor. Eles se reúnem mensalmente com o time de gestão de pessoas e do marketing para discutir assuntos pertinentes a todos os segmentos da empresa (ações, novidades, mudanças, políticas interna e campanhas), além de debater dúvidas dos setores que os Talkers apresentam.  “Posteriormente, eles disseminam essas informações para todos os profissionais do seu respectivo setor. Para que os Talkers gerem conteúdos de qualidade são realizadas capacitações sobre comunicação, branding e endomarketing, assim como criação de conteúdo/escrita. É realizado também um momento de interação no qual, em cada reunião, um Talker, apresenta as atividades e características de seu setor aos demais, gerando integração e conhecimento sobre a empresa”, explica Cintia.  Já o Programa Unidade Escola Prática | Seja Bem-vindo a Clinipam trouxe o troféu de 1º lugar para a operadora. Segundo a coordenadora de Gestão de Pessoas, essa iniciativa ganhou uma nova versão em abril de 2019 e seu principal diferencial é o desenvolvimento dos novos colaboradores de atendimento ao cliente, que atuam dentro das Unidades.  “Assim como ou outros dois projetos premiados pela ABRH-PR, essa metodologia foi criada para resolver um problema. Percebemos um distanciamento na entrega esperada do colaborador em relação à comportamento, execução técnica e engajamento nas atividades cotidianas e diagnosticamos que essa situação poderia ser resolvida com formação. Investimos num upgrade dado no treinamento de integração: duração de sete dias, aprofundamos os conteúdos que eram enxutos, realizamos vivência do uso dos sistemas de atendimento, e acompanhamento aos atendimentos presenciais. O propósito é desenvolver agentes de transformação, que agreguem valor a si mesmo e a organização”, finaliza Cintia.  Mais de 230 pessoas já participaram da iniciativa no Paraná e Santa Catarina e 84,6% dos colaboradores pontuaram que o grau de adaptação à empresa seria entre médio a difícil caso não tivessem participado do treinamento.   

Oferecer amor é o que move Elis, a assistente social do Programa Acolher

Oferecer amor é o que move Elis, a assistente social do Programa Acolher

O verbo acolher é um dos mais generosos da nossa língua porque está relacionado ao ato de dar suporte; consolar; oferecer colo ou um abraço para quem está precisando de apoio em determinado momento de sua vida. O acolhimento já foi até objeto da poesia de Hildebrando de Menezes, que diz: “Tocar em gente./ Olhar o poente./ Cheirar o cangote./ Dar seu suporte./ Consolar o doente./ Respeitar o diferente./ Entender a morte./ Contar com a sorte”.E quando conhecemos um pouco a história de Elisangela Hahn dos Santos, assistente social do Programa Acolher, é inevitável fazer uma relação entre a literatura e a vida dela. As palavras do poeta parecem imitar o dia a dia da colaboradora da Clinipam, que desempenha um papel nobre: dar amparo aos beneficiários em momentos que estão vulneráveis. É ela, junto com a equipe do Acolher, quem acompanha os pacientes vindos de Santa Catarina para realizar tratamento na capital paranaense ou para dar um pouco de conforto para os clientes e seus familiares em casos de internamentos nos hospitais da rede própria.Para ela, sua atuação na Clinipam faz a diferença. A profissional já coleciona uma série de histórias recheadas de emoção em seu currículo. “É gratificante. Um dos primeiros casos que atendi, marcou a minha carreira. Recebemos um paciente com um quadro bastante complexo. Cardíaco, ele precisou fazer uma cirurgia. E graças a nossa agilidade, inclusive nas questões burocráticas, o procedimento foi realizado com muita rapidez. O paciente passou apenas um período curto hospitalizado e, quando chegou em casa, mandou uma foto com o filho de dois anos no colo, com uma mensagem de agradecimento. Aquela imagem só foi possível graças a agilidade da nossa equipe, desde a liberação do procedimento, passando pelo deslocamento e rapidez para fazer a cirurgia. Muitas vezes, não temos a noção de como a realização do nosso trabalho traz desdobramentos para a vida das pessoas. Já perdi as contas de quantos pacientes e familiares ajudei desde que ingressei no Programa Acolher. Damos a eles aconchego e carinho. Não é um contato impessoal, feito pelo telefone. Estamos ali presentes fisicamente, sabemos os nomes das pessoas e conhecemos as suas histórias”, diz.Quando Elisangela - conhecida pelos colegas de trabalho como Elis - ingressou na Clinipam, em 2012, aos 17 anos, não imaginava que aquela oportunidade lhe traria tanto crescimento pessoal e profissional. Tão pouco, acreditava que poderia exercer na operadora um cargo condizente com sua formação na área de assistente social. “Ser assistente social na Clinipam, com certeza é um grande desafio, buscar garantir direitos, ter um olhar humano para a pessoa, tentando garantir, no dia a dia, o bem-estar dos beneficiários, por meio do nosso trabalho”, afirma. Isso porque foi contratada como auxiliar administrativa na auditoria médica. Ficou naquele setor até 2018 e lá galgou novos cargos: se tornou assistente, analista e depois supervisora e quando o Programa Acolher teve início, agarrou essa oportunidade com as duas mãos. “Eu estava quase me formando como assistente social e todas as experiências acumuladas nas demandas e aprendizados sobre liberações e a vida da operadora na auditoria médica me ajudaram muito na nova função. Era um setor muito técnico e, apesar de não ter acesso ao público, ajudava muito os beneficiários, porque cuidava dos processos de liberação de exames e cirurgias. O trabalho tinha um impacto para o cliente, mesmo sem ele me ver. Lá, já exercia a empatia e tentava dar o meu melhor, me colocando no lugar da pessoa que estava aguardando por um procedimento. Isso era o mais legal”, relata. Agora, Elis tem a oportunidade de olhar nos olhos e segurar nas mãos dos beneficiários e oferecer, na prática, todo esse acolhimento. O melhor de tudo, na profissão que escolheu, é sentir na pele todos os sentimentos expressos na poesia de Hildebrando de Menezes que fala sobre o ato de oferecer abrigo: “Não perder o Norte./ Ser sempre amigo./ Adormecer pequeno./ Acordar um gigante.”