Novembro azul: 90% dos casos de câncer de próstata têm cura

Novembro azul: 90% dos casos de câncer de próstata têm cura

Diagnóstico precoce evita a letalidade da doença; Clinipam GNDI inaugura Centro Oncológico do Cabral, exclusivo para tratamento de câncer  O câncer de próstata é o segundo tipo mais comum entre os homens, depois do câncer de pele não-melanoma. No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), quase 69 mil novos casos de tumores na próstata são detectados por ano. E a prevenção, por meio do diagnóstico precoce, pode mudar o curso da doença, evitando sua gravidade e a metástase. Daí a importância do Novembro Azul, campanha mundial que tem como objetivo divulgar a os cuidados preventivos, como explica o urologista da Clinipam, Dr. Gino Pigatto Filho. “Não existe tratamento que previna o câncer de próstata, que é segundo que mais mata, atrás apenas dos tumores de pulmão. O que podemos fazer são exames para a detecção precoce, como PSA e toque retal. Além disso, estamos falando de uma doença assintomática. Quando os homens sentem dor nos ossos, perdem peso e apresentam anemia, que são sintomas de neoplasias, o câncer de próstata já é metastático e está num estágio avançado”, explica o urologista. Na opinião dele, o Novembro Azul é uma oportunidade para que os homens coloquem os exames em dia e façam um check-up, que inclui consultas com especialistas, como cardiologistas. “Faz parte da natureza do homem não procurar auxílio médico. Estudos mostram que os homens casados vivem mais que os solteiros, porque as esposas estimulam o cuidado. E o Novembro Azul é uma janela para chamar a atenção desse público para se cuidar”, aponta o urologista. Ele acrescenta que o preconceito em relação ao exame do toque é mais um fator que contribui para que os homens mantenham o cuidado médico à distância. “Eles acreditam que o toque será uma exigência dos profissionais da saúde. É importante esclarecer que esse é um exame adjunto e, se sua prescrição for necessária, é indolor, rápido e gratuito. A visita ao urologista é importante para a orientação sobre o PSA, que é o exame principal quando falamos em diagnóstico de câncer de próstata”, alerta o especialista. A alteração nos valores de PSA (antígenos específicos da próstata) é o primeiro passo para uma investigação e para descartar a presença de um tumor: por isso esse exame é tão importante. Todos os homens, a partir dos 50 anos, devem fazê-lo. No caso de afrodescendentes e de histórico familiar de casos de neoplasias na próstata, o procedimento deve ser realizado a partir dos 45 anos.  “O aumento no PSA pode ser decorrente de uma infecção, por exemplo, e nem sempre é um sinal vermelho para o câncer. Mas é por meio dessa análise que um diagnóstico começa a ser formado. A conclusão só é firmada depois de uma biopsia, que é necessária para verificar se o paciente possui um tumor maligno. Vale lembrar que 90% dos casos de próstata têm cura se forem diagnosticados precocemente. Além disso, parte dos tumores são indolentes, demoram para crescer, e não precisam de um tratamento agressivo”, finaliza Gino Pigatto Filho. Centro Oncológico Cabral Os beneficiários da Clinipam GNDI ganharam uma unidade exclusiva para o tratamento de câncer. O Centro Oncológico Cabral foi inaugurado no início de novembro para trazer mais conforto, comodidade e privacidade para os pacientes. Além de equipamentos modernos, com tecnologia de ponta, o Centro Oncológico Cabral se diferencia por prestar um atendimento humanizado para os beneficiários. Taciana Bonete, Gerente Executiva de Coordenação do Cuidado, explica que o objetivo da Clinipam GNDI é tonar o novo centro em uma referência em oncologia. “Os tratamentos de câncer são complexos e exigem uma visão integral do estado de saúde do paciente. Estamos reunindo no mesmo espaço uma equipe multidisciplinar, composta por especialistas em Cancerologia Clínica, Cancerologia Cirúrgica, Cirurgia da Cabeça e Pescoço, Cirurgia Torácica, Hematologia, Mastologia, Nutrição e Genética Médica, além do local para administração de quimioterapias. Queremos ir além do tratamento da doença, oferecendo um cuidado integral e humano aos nossos pacientes", diz Taciana. Localizado na Av. Paraná, 1673, o novo Centro Oncológico Cabral possui ampla estrutura e irá oferecer tudo que nossos pacientes precisam, como consultas médicas em diversas áreas da oncologia e infusão de quimioterapia. O horário de funcionamento será de segunda a sexta, das 8 às 19 horas.

Novembro Roxo: pré-natal pode evitar a prematuridade

Novembro Roxo: pré-natal pode evitar a prematuridade

Com aquisição de mais um hospital beneficiários da Clinipam GNDI ganham maternidade própria com UTI Neonatal referência para atender prematuros Neste dia 17 de novembro comemora-se o Dia Mundial da Prematuridade. A data faz parte do calendário do Novembro Roxo, mês dedicado à realização de ações para conscientizar a população sobre os cuidados especiais que devem ser adotados com os bebês que nascem prematuros – antes da 37ª semana completa de gestação. A cor roxa é usada como símbolo das campanhas em todo o globo por representar sensibilidade e individualidade, características peculiares dos bebês prematuros.Um levantamento da Organização das Nações Unidas (ONU) estima que, todos os anos, cerca de 15 milhões de crianças nascem prematuras no mundo todo. Além disso, um estudo chamado “Prematuridade e suas possíveis causas”, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), aponta que a prevalência de partos de crianças prematuras no Brasil chega a 11,7%. Essa porcentagem coloca o País na décima posição entre as nações onde mais nascem bebês prematuros. O caminho mais adequado para mudar essa realidade é o pré-natal: fundamental para garantir uma gestação segura. Na Clinipam, uma empresa do Grupo NotreDame Intermédica, todos os cuidados com as gestantes são reforçados pelo Programa Gestante Bem Cuidada. Taciana Bonete, Gerente Executiva de Coordenação do Cuidado, explica que as causas da prematuridade são multifatoriais e podem levar a comprometimentos de curto a longo prazo. “É fator de risco para o recém-nascido e pode gerar complicações na vida infantil, estendendo à vida adulta”, diz. Existem diferentes classificações para caracterizar os bebês prematuros. Naqueles que nasceram com idade gestacional entre 32 a 37 semanas incompletas, a prematuridade é classificada como moderada e tardia; os bebês que nasceram entre 28 e 32 semanas são considerados muito prematuros; e aqueles que nasceram antes das 28 semanas são extremamente prematuros. Em relação ao peso, os recém-nascidos com até 2 quilos são classificados como de baixo peso; aqueles que vêm ao mundo com até 1,5 quilos são considerados bebês de muito baixo peso; e, por fim, aqueles que nascem com menos de 1 quilo são caracterizados como extremo baixo peso. “Todos esses bebês são um desafio para a assistência obstétrica”, afirma Taciana. Clinipam GNDI possuem maternidade própria A aquisição recente do Hospital e Maternidade Santa Brígida pela Clinipam GNDI vai melhorar ainda mais o atendimento às gestantes e recém-nascidos que são beneficiários do plano de saúde. A unidade materno-infantil contempla 72 leitos, sendo 15 de UTI, 7 salas obstétricas, ambulatório próprio e 3 consultórios de pronto socorro, além de uma ala diagnóstica com ultrassonografia, radiografia e laboratório de análises clínicas. “O Santa Brígida é um dos hospitais mais tradicionais do Paraná, com infraestrutura completa, moderna e com capacidade de 680 consultas semanais. Para nossos beneficiários, principalmente para as mães, é um privilégio contar com uma maternidade própria, com plantão 24 horas, especializada em gestação de alto risco e UTI Neonatal”, diz Vanessa Almeida, Coordenadora de Relacionamento com o Cliente do Hospital e Maternidade Santa Brígida.Reconhecido pela excelência no tratamento de bebês prematuros ou que precisam de cuidados intensivos logo após o nascimento, o Santa Brígida abriga o primeiro Centro de Seguimento de Prematuros em um hospital privado no Paraná, desde 2017. Lá os bebês são monitorados por uma equipe multidisciplinar, que acompanham seu desenvolvimento após a alta hospitalar. O objetivo é o diagnóstico precoce, capaz de sugerir intervenções imediatas para garantir a saúde integral destes pacientes. O hospital também se destaca pelo atendimento humanizado na UTI Neonatal, onde não há restrição de horário para permanência dos pais. Taciana Bonete destaca que, mesmo quando os recém-nascidos estão na UTI Neonatal, o contato com a mãe é fundamental. “Eles reconhecem a figura materna pelo toque, pela voz, batimentos cardíacos e cheiro. Por isso, assim que estiverem com um quadro estável e puderem sair da incubadora, devem ir para o colo da mãe e de outros familiares. As mamães também devem amamentar e se o bebê não puder sugar o leite dos seios, esse alimento pode ser administrado por sonda. Nesse caso, as mães devem fazer a ordenha. Mesmo o colostro é muito importante para a saúde dos bebês”, observa a coordenadora assistencial do Centro Clínico Ginecológico e Obstétrico da Clinipam GNDI. Outras ações do Novembro Roxo Desde o ano passado, os momentos vividos pelas famílias nas instalações do Santa Brígida são eternizados numa cápsula do tempo. Os pais são convidados para escrever uma carta e contar sobre as emoções e a ansiedade que permearam os primeiros dias de vida dos recém-nascidos que passaram pela UTI Neonatal: um desafio para eles e para as famílias. O documento, além de um registro histórico, é uma prova de superação, que mostra que todas as dificuldades impostas pela prematuridade podem ser vencidas. As cartas escritas em 2019 serão abertas nesse mês, com a presença dos pais, durante as ações do Novembro Roxo. “Como demonstração de nosso carinho, os pais recebem ainda um diploma e asas de anjo e coroas de crochê, confeccionados por uma de nossas colaboradoras. A cor roxa, que simboliza essa causa também aparece nas camisetas da equipe que acompanha a trajetória destes bebês”, conta Patrícia Haus, coordenadora de enfermagem da UTI Neonatal do Hospital e Maternidade Santa Brígida. Com certeza, tantas histórias reais com final feliz são uma inspiração para os profissionais que trabalham diretamente no atendimento aos pacientes prematuros, além de uma fonte de esperança para quem está vivenciando essa situação no presente. E para os pais que são diplomados por terem superado todas as sequelas da prematuridade, reviver a própria história, agora no papel de telespectadores, tem um gostinho especial, de vitória, de renascimento.

Índice Glicêmico dos alimentos reflete no controle do diabetes

Índice Glicêmico dos alimentos reflete no controle do diabetes

Doença crônica afeta 8,9% dos brasileiros e pode evoluir para problemas graves; confira nesse post uma receita para seu café da manhã que leva carboidratos do bem 14 de novembro é o Dia Mundial do Diabetes. Aproveitamos a data para mostrar que é possível melhorar a qualidade de vida desses pacientes com mudanças no estilo de vida: entre elas está a adoção da dieta do diabético, baseada no controle da ingestão de açúcar na alimentação diária. O organismo de quem sofre com essa doença crônica tem dificuldade para controlar a glicose sanguínea proveniente do açúcar e de outros carboidratos, que acabam se transformando nessa substância. E quando a taxa de açúcar no sangue está alta, surgem os sintomas do diabetes como a perda de peso, muita sede e aumento da quantidade de urina. Outros desconfortos como fraqueza, cansaço, visão turva e dor nas pernas e nos pés também podem fazer parte da rotina dos diabéticos.   Se não for controlada, o diabetes é porta de entrada para problemas graves como como cegueira, perda de sensibilidade nas pernas e pés, perda da função dos rins e doenças cardiovasculares.   As falhas na assimilação da glicose pelo organismo podem originar basicamente dois tipos de diabetes. No tipo 1, o sistema imunológico ataca as células que sintetizam a insulina, hormônio que estimula o processo de absorção de açúcares. Nesses casos, a reposição precisa ser feita diariamente, por meio de injeções. Já no diabetes de tipo 2 nem sempre é preciso recorrer aos medicamentos para obter resultados positivos. O controle glicêmico, a atividade física regular e uma alimentação adequada são excelentes aliados para tratar a doença crônica e podem reduzir as doses ou até mesmo excluir a prescrição da insulina e de outros remédios.   Carboidratos do bem Os alimentos com baixo Índice Glicêmico (IG), chamados de carboidratos do bem, não podem faltar no prato dos diabéticos que querem investir na alimentação como uma forma de controlar a doença. O Índice Glicêmico mede a velocidade com que o alimento aumenta a taxa de açúcar no sangue, elevando a glicemia. “Um alimento com Índice Glicêmico alto é digerido rápido demais, aumentando rapidamente as taxas de açúcar no sangue e levando à liberação maior de insulina. E é exatamente a insulina em excesso que faz com que o corpo produza e armazene mais gordura”, explica a nutricionista da Clinipam, uma empresa do Grupo NotreDame Intermédica, Danusa Yanes.  Ela resume todo esse processo que ocorre em nosso organismo e desencadeia o diabetes. “Se há muita glicose (açúcar) no sangue, o pâncreas produz muita insulina. Esse hormônio manda o açúcar para as células de depósito de tecido adiposo, onde se transformarão em gordura, levando à obesidade. A produção contínua e exagerada de insulina ocasiona esgotamento do pâncreas e causa o diabetes”, diz a nutricionista da Clinipam GNDI. Vale ressaltar que os carboidratos do bem prolongam a sensação de saciedade e distribuem melhor a energia pelo corpo. No entanto, Danusa alerta: “mais do que manter a ingestão de carboidratos controlada, é essencial saber escolhê-los e combiná-los com outros alimentos, isso sempre ajuda a reduzir o Índice Glicêmico. Cerca de 70% da alimentação dos brasileiros é composta por carboidratos. A taxa deveria ficar na casa dos 50%. O almoço e o jantar são os momentos ideais para consumi-los, lembrando que metade do prato deve ser feito com hortaliça”, ensina a nutricionista da Clinipam. A sugestão de Danusa é evitar o café da tarde. Quando bate a fome, ao invés de ir até a padaria, prefira uma fruta: rica em nutrientes e fibras. Se for consumida junto com duas castanhas-do-Pará, por exemplo, a absorção da glicose será mais lenta. “Laranja, maçã, pêssego, morango, melão e abacate estão na lista das frutas com baixo índice glicêmico. Outra dica é associar um iogurte ou semente de chia. Além de enriquecerem o lanche, também aumentam a saciedade e abaixam o índice glicêmico das frutas. Dessa maneira dá para comer inclusive aquelas com maior índice glicêmico como a banana e o mamão”, conta.   A opção por alimentos integrais (grãos e cereais) também é ideal na alimentação saudável. “No processo de beneficiamento há a remoção da casca e de outras estruturas e, consequentemente, de grande parte dos seus nutrientes, como fibras, vitaminas e minerais”, conta Danusa.   Por fim, a nutricionista do CQV sugere que o consumo de farinha, mesmo que seja integral, deve ser moderado. “É preciso cuidar também com a tapioca, que veio com a moda da dieta sem glúten. A questão não é o glúten, mas o excesso de carboidrato e falta de fibras. Para quem gosta, pode consumi-la no café da manhã em forma de crepioca, uma panquequinha com ovo. A gordura e proteína do ovo retardam a absorção do carboidrato da tapioca”, diz Danusa.   A dieta com alimentos de baixo e médio Índice Glicêmico inclui leite, iogurtes, queijos, aveia e farelo de aveia, feijão, ervilha, ovos, carnes, cogumelos, amendoim, castanhas e nozes. O macarrão, o arroz integral e os pães integrais, por exemplo, devem ser consumidos com moderação. “Apesar de serem saudáveis, estão na lista de alimentos com alto Índice Glicêmico. Deve-se evitar sucos de fruta, principalmente o de laranja e de uva integral, que têm um altíssimo Índice Glicêmico, elevam a glicose no sangue em um abrir e fechar de olhos. Mesmo sendo naturais, concentram o açúcar das frutas e ainda eliminam as fibras”, orienta a nutricionista do CQV.   8,9% dos brasileiros são diabéticos O diabetes atinge 8,9% dos brasileiros: 12,5 milhões de pessoas no país com o diagnóstico, incluindo os tipos 1 e 2. Em dez anos – entre 2006 e 2016 – o número aumentou 61,8%, de acordo com o Ministério da Saúde. Outra informação importante para quem quer prevenir a diabetes - principalmente para aqueles que têm pré-disposição genética – é ficar de olho na balança. É que o sobrepeso tem relação direta com o surgimento da doença, já que entre 80% e 90% dos diagnósticos do tipo 2 são em pessoas que estão na faixa de obesidade. A Organização Mundial de Saúde estima que até 2025 o Brasil vai ser o quarto país mais obeso do mundo. Os alimentos processados, ou seja, industrializados, por conterem alto teor de sal, gorduras e açúcares, aumentam a glicemia no sangue e, junto com o sedentarismo, são os grandes responsáveis por boa parte dos casos de diabetes. Por isso não custar repetir: a mudança de hábitos pode salvar vidas!   Para quem não dispensa “o pãozinho nosso de cada dia, a nutricionista Danusa Yanes apresenta uma receita saudável e prática, que pode ser preparada no micro-ondas.   Pão de aveia e chia Ingredientes: 1 ovo, 1 colher de sobremesa de iogurte, 1 colher de sopa de semente de chia, 1 colher de sopa de aveia em flocos finos, 1 colher de sobremesa de água, 1 colher de café de fermento em pó, 1/2 colher de café de sal, 1 colher de café de cúrcuma. Preparo: junte todos os ingredientes e misture bem com um garfo. Coloque em uma pequena travessa e leve ao micro-ondas na potência alta por cerca de dois minutos. Depois de pronto, espere esfriar, corte ao meio e faça um recheio a seu gosto.

CQV cria grupo de Mindfulness para melhorar saúde dos beneficiários Clinipam

CQV cria grupo de Mindfulness para melhorar saúde dos beneficiários Clinipam

Prática é indicada para transtornos mentais e doenças crônicas: pausas diárias diminuem níveis de cortisol, hormônio que interfere na pressão arterial “Mens sana in corpore sano”: a expressão latina que tem origem na poesia dos romanos traduz a importância da conexão entre a saúde do corpo e da mente, indispensável para quem prima por uma vida em equilíbrio. A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) relaciona as duas coisas quando define a saúde: “um estado de completo bem-estar físico, mental e social; e não apenas ausência de doenças ou enfermidades”. No entanto, alcançar esse conceito não é tão fácil quando deixamos a teoria e vamos para a prática. Se por um lado a tecnologia agilizou a comunicação e removeu as fronteiras, por outro lado deixou a rotina ainda mais atribulada.   Diante desse cenário e reconhecendo a importância do relaxamento mental inclusive para a prevenção e controle de doenças crônicas, o Centro de Qualidade de Vida (CQV) não mede esforços para melhorar a saúde mental dos beneficiários da Clinipam, uma empresa do Grupo NotreDame Intermédica.   Para isso, incluiu as práticas da meditação na linha de cuidados dos pacientes. “Já existem estudos que apontam a indicação do mindfulness, estado de atenção plena, que é eficiente não apenas para tratamentos de estresse, depressão e ansiedade, que são transtornos mentais, mas também para doenças crônicas como diabetes, hipertensão e dor crônica”, explica Taciana Bonete, gerente do CQV.   O grupo “Pílulas de Saúde” é conduzido por Mariana Rheded (CRP 08/18126), psicóloga do Centro de Qualidade de Vida (CQV) da Clinipam. Ela comenta que mais do que estimular o pensamento equilibrado e um olhar positivo sobre a vida diante das dificuldades, há justificativas biológicas para o processo. “O mindfulness diminui os níveis de cortisol, que é justamente o hormônio do estresse, um dos responsáveis pelo aumento da pressão arterial, por exemplo, que traz consequências graves para a saúde”, diz Mariana.  E não é só conversa de psicóloga. O programa é bem visto pelos beneficiários e muitos participantes já sentiram na pele as mudanças provocadas pela meditação. Indiamara Benedet da Silveira Pedro destaca que a Dra. Mariana domina a prática da meditação e deixa o grupo confortável para demostrar as emoções. “É um trabalho que, sem dúvida nenhuma, só faz bem às pessoas que participam, pois transmite paz, segurança e nos ensina a perceber melhor nossos sentimentos e atitudes”, revela.   Outra participante, Camila de Fátima Souza Baumel, avalia a experiência como algo maravilhoso. “Poder fazer essa pausa, com a ajuda de pessoas engajadas a fazer o bem para os outros e reavaliar a forma como vemos o mundo é muito bom”, analisa.   Para Luiza Marinho Lopes, tirar os pés do acelerador, todos os dias, também trouxe muitos benefícios para sua vida. "As pausas diárias foram algo que me dediquei e as percebo como um caminho para ter mais frequência nas meditações. Consegui estar mais presente nos meus estudos e respirar com consciência quando estava incomodada com um problema”, finaliza.

Izabelle é exemplo de autoaceitação, autossuperação e comprometimento

Izabelle é exemplo de autoaceitação, autossuperação e comprometimento

Izabelle Stefany de Alencar Luz, de 23 anos, ocupa uma vaga PCD (Pessoa com Deficiência) na Clinipam GNDI há dois anos. Começou como auxiliar de administração no departamento de gestão de pessoas e, ao longo da jornada, ganhou experiência, mais responsabilidade e já foi promovida no setor. O maior orgulho de Izabelle é desempenhar bem suas funções e ser tratada sem distinção no dia a dia na empresa. A colaborada nasceu com má formação na mão direita e trata a questão congênita como algo normal, porque a deficiência não impõe qualquer obstáculo na sua rotina, não interfere nas metas que traça para seu futuro, tampouco na realização dos seus sonhos. “Eu aprendi a fazer tudo com uma mão só porque já nasci com essa condição e desenvolvi autonomia. Digito rápido e faço tudo, como as outras pessoas. Desde pequena eu me aceitei e esse é o caminho. Se não houver autoaceitação, como cobrar dos outros que nos tratem com igualdade?”, questiona Izabelle. Ela conhece de perto as barreiras que precisam ser derrubadas para que as pessoas com deficiência alcancem uma vida normal. Por isso, não vê problemas para falar abertamente sobre seu problema, como uma forma de despertar nos outros a sensibilidade para a causa da diversidade. “Não quero que as pessoas nutram um sentimento de pena por mim, porque isso não faz sentido algum”, diz. Izabelle se despiu do preconceito e é uma jovem totalmente resolvida, que não se abala com os olhares desconcertantes que recebe de algumas pessoas em razão de sua deficiência. “Relevo quando me olham sem jeito para meu punho e percebo que têm receio de perguntar o que aconteceu comigo. Mas passo por cima de tudo isso porque me aceito como sou”, conta. Antes de trabalhar na Clinipam, Izabelle encontrou dificuldades para arrumar trabalho e sentiu medo de não encontrar um lugar ao sol. “Quando procurava emprego de recepcionista, sentia que as pessoas pensavam: como vamos ter alguém sem uma mão para receber o público?”, relata. Azar o delas e sorte da Clinipam, que se impressionou apenas positivamente com o carisma e a simpatia de Izabelle e conta com a dedicação dela no departamento de gestão de pessoas. Contratado e contratante estão felizes e bem acordados e, se depender de Izabelle, o vínculo será duradouro. Ela quer fazer carreira na empresa e já está cursando a faculdade de administração de empresas, para avançar novas posições. “Quero completar, no mínimo, 10 anos na Clinipam. O conjunto da obra é muito bom por aqui, adoro meu trabalho e as pessoas com quem me relaciono. E esse ambiente saudável, colaborativo, onde sou tratada com igualdade, não tem preço. Sem falar das oportunidades de crescimento, por meio da formação dentro de uma universidade corporativa”, avalia. Obrigada por seu empenho e dedicação, Izabelle. Continue iluminado nossos corredores e colaboradores com essa mesma LUZ que carrega até no nome. Temos orgulho em tê-la no time Clinipam GNDI. O Grupo NotreDame Intermédica, do qual a Clinipam faz parte, sabe a importância da diversidade que tem como premissa de sua atuação, a garantia de que todos sejam tratados indistintamente e reconhecidos por suas atitudes e competências, não tolerando qualquer prática de discriminação ou assédio. Aqui, todas nossas vagas também são destinadas às pessoas com deficiência. Para conferir as posições com processos seletivos em aberto, acesse nosso site: http://bit.ly/vaga-clinipam e fique de olho em nosso Linkedin: https://www.linkedin.com/company/clinipam. 

Câncer de mama tem cura

Câncer de mama tem cura

Nesse post vamos contar o que é Outubro Rosa e orientar nossas pacientes sobre a importância do diagnóstico precoce nos tumores de mama Criado em 1990, nos Estados Unidos, o objetivo do Outubro Rosa é conscientizar as mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) esses tumores representam 29,5% dos diagnósticos de neoplasia em mulheres. É o segundo tipo mais comum na população feminina, perdendo somente para o câncer de pele não-melanoma e o primeiro em mortalidade. E quando falamos em prevenção, não podemos esquecer de mencionar a importância do autoexame, orienta o Dr. Cleverton César Spautz, mastologista da Clinipam, uma empresa do Grupo NotreDame Intermédica. “Temos a figura do médico, os exames como a mamografia, e a própria mulher como protagonista desse rastreamento. Nesse contexto, o autoexame é extremamente importante, sobretudo porque engaja a mulher no diagnóstico”, conta.  Ele acrescenta que quando o nódulo ou tumor é perceptível no autoexame já é maior que aquele detectado na mamografia: exame que apresenta um diagnóstico na fase pré-clínica. “Apesar disso, as mulheres não devem esquecer do autoexame, principalmente porque parte delas não têm acesso à mamografia”, informa o Dr. Cleverton.  Ele ressalta a importância do diagnóstico precoce: o ponto mais importante na expectativa de cura de uma paciente. A mamografia como método de rastreamento é responsável pela redução de 25% a 30% da mortalidade por câncer de mama. “Mulheres com diagnósticos em estágios iniciais, o estágio I, que são tumores restritos a mama e de pequeno tamanho, têm acima de 95% de chance de cura quando fazem o tratamento. A diferença entre um diagnóstico precoce e um diagnóstico tardio é absurda em termos de perspectiva de cura. E a mamografia é a principal ferramenta para detectar esse tipo de câncer”, afirma.  Recomenda-se às mulheres realizarem esse exame anualmente a partir dos 40 anos de idade. O mastologista da Clinipam esclarece que existia uma grande discussão sobre a serventia da mamografia entre os 40 e 50 anos de idade. E publicações científicas recentes, desse ano de 2020, apontam que o benefício desse exame é claro quando se trata da redução de mortalidade. “Apenas em populações de maior risco, como histórico familiar e confirmação genética a mamografia é realizada a partir dos 30 anos e intercalada com a ressonância magnética de mama”, diz o Dr. Cleverton.  Hábitos saudáveis previnem câncer de mama  Dietas ricas em gorduras, aumento de peso e sedentarismo aumentam o risco do câncer de mama, principalmente quando a mulher está na pós-menopausa. Daí a importância de adotar um estilo de vida saudável. “Alimentação balanceada, controle de peso e prática de exercícios físicos regularmente são extremamente relevantes. Vale lembrar ainda que mulheres que passaram pelo tratamento de câncer de mama e tiveram ganho de peso de 10 quilos ou mais, aumentam a chance de recidiva”, finaliza o Dr. Cleverton. 

Clinipam renova certificação da Great Place to Work

Clinipam renova certificação da Great Place to Work

Próprios colaboradores avaliam as companhias por meio de pesquisas que analisam clima organizacional A Clinipam, uma empresa do Grupo NotreDame Intermédica, está de novo no ranking GPTW, que engloba as melhores empresas de pequenos, médios e grandes portes para se trabalhar. O significado da sigla GPTW é Great Place to Work que, na tradução para o português, remete ao melhor lugar para trabalhar. E são os próprios colaboradores de cada organização que fazem essa avaliação. A coordenadora de gestão de pessoas, Cintia Becker, acredita que a certificação é mais uma chancela que demonstra que a “lição de casa” está sendo bem feita na Clinipam. “Trabalhamos com o segmento da saúde, cujo principal valor é o cuidado e a ajuda ao próximo. Como uma empresa do Grupo NotreDame Intermédica, um dos principais pilares é o acolhimento e todos os comportamentos que essa cultura abarca (Empatia, Cuidado, Simplicidade, Respeito, Proatividade, Compromisso, Qualidade e Segurança, Ouvir, Gentileza e Diálogo). Por isso, temos que cultivar esse valor dentro dos portões da organização e ser exemplo de atenção uns para os outros”, diz Cintia. Para ela, a certificação do GPTW é uma comprovação do zelo da empresa com seus clientes internos, que são os colaboradores. “A valorização das pessoas é genuína e está no nosso DNA. As experiências diárias que elas vivenciam reflete no atendimento que elas prestam aos nossos beneficiários. Saber que a equipe sente orgulho de trabalhar na Clinipam pela forma como os colaboradores são tratados e por enxergarem um futuro promissor, com oportunidade de crescimento profissional numa empresa sólida, mostra que estamos no caminho certo”, acrescenta a coordenadora. Projeto Diversidade Um dos pontos positivos apresentados no relatório é o sentimento de igualdade no ambiente de trabalho. A colaborada Izabelle Stefanye de Alencar Luz, de 23 anos, ocupa uma vaga PCD (Pessoa com Deficiência) na Clinipam há dois anos e sua maior conquista é desempenhar bem suas funções e ser tratada sem distinção no dia a dia na empresa. Izabelle nasceu com má formação na mão direita e trata a questão congênita como algo normal, porque a deficiência não impõe qualquer obstáculo na sua rotina. Entre os planos para o futuro está construir uma carreira na empresa. Ela está cursando a faculdade de administração de empresas para avançar novas posições. “Quero completar, no mínimo, 10 anos na Clinipam. O conjunto da obra é muito bom por aqui, adoro meu trabalho e as pessoas com quem me relaciono. E esse ambiente saudável, colaborativo, onde sou tratada com igualdade, não tem preço. Sem falar das oportunidades de crescimento por meio da formação dentro de uma universidade corporativa”, avalia. Izabelle não é um caso isolado porque o Grupo NotreDame Intermédica, do qual a Clinipam faz parte, sabe a importância da multiplicidade no quadro de colaboradores. E é essa a principal mensagem do Projeto Diversidade do Grupo NotreDame Intermédica, do qual a Clinipam agora faz parte, que preconiza que todos sejam tratados indistintamente e reconhecidos por suas atitudes e competências, não tolerando qualquer prática de discriminação ou assédio. “Nosso objetivo é despertar o sentimento de pertencimento e promover um ambiente em que todos, colaboradores, clientes e parceiros possam encontrar condições de igualdade e respeito. O trabalho deve ser uma fonte de alegria e não apenas a garantia de remuneração. E acredito que nossos colaboradores encontram dentro da empresa uma sinergia com seus propósitos pessoais. E essa é a maior recompensa: não há salário que recompense a satisfação na vida profissional, a sensação de fazer o bem sem olhar a quem, seja junto ao público interno ou externo”, conclui Cintia.

Novo Centro Oncológico Cabral

Novo Centro Oncológico Cabral

O Centro Clínico Cabral, que está fechado para reformas, será o novo Centro Oncológico Cabral, a partir de 3/11/2020. O espaço possui ampla estrutura e irá oferecer tudo que nossos pacientes oncológicos precisam, como consulta com especialistas e infusão de quimioterapia. Exclusivo para pacientes oncológicos, o Centro Clínico também contará com acessibilidade e uma equipe especializada de atendimento. Confira todas as especialidades disponíveis no local:   Cancerologia Clínica Cancerologia Cirúrgica Cirurgia da Cabeça e Pescoço Cirurgia Torácica Hematologia Mastologia Nutrição Genética Médica O endereço do novo Centro Oncológico Cabral é: Av. Paraná, 1673 - Boa Vista. O horário de funcionamento será de segunda a sexta, das 8h às 19h.