Voltar

Clinipam investe em programas de emagrecimento para melhorar saúde dos beneficiários

Clinipam investe em programas de emagrecimento para melhorar saúde dos beneficiários



A medicina preventiva tem papel fundamental para evitar as doenças relacionadas ao excesso de peso. Pessoas que têm propensão à obesidade devem adotar hábitos saudáveis como uma dieta equilibrada, com menor consumo de alimentos gordurosos e exercícios físicos regulares. Segundo os especialistas, perder de 5 a 10% do peso melhora os fatores de risco para doença cardiovascular, diminui a pressão arterial, as taxas de glicose e o colesterol, além de trazer outros benefícios para a saúde.  
Pensando nisso, o Centro de Qualidade de Vida (CQV) da Clinipam, criou programas de emagrecimento para melhorar a saúde dos seus beneficiários. No SOS Balança, dirigido para adultos, e no Mova-se, voltado para crianças e adolescentes o objetivo é o mesmo: incentivar os clientes da operadora a mudarem o estilo de vida. Durante quatro meses, eles são atendidos por uma equipe multidisciplinar que incentiva a adoção de alimentação saudável e abandono do sedentarismo para fazer as pazes com a balança.
O SOS Balança e o Mova-se são ministrados por médicos, educadores físicos, psicólogos e nutricionistas. Além do acompanhamento individual, os beneficiários participam de encontros em grupo. No caso das crianças e adolescentes também há sempre a participação dos pais – uma que vez que, para perder peso nesta fase da vida, é preciso investir numa mudança de hábitos de toda a família. Os encontros são bem dinâmicos e eles levam tarefas para realizar em casa. Os grupos oferecem ainda aulas com dicas de preparo de alimentos saudáveis, promoção dos jogos e atividades lúdicas, além de todo o acompanhamento emocional necessário para a mudança no estilo de vida.

Epidemia
Uma pesquisa do Ministério da Saúde indica que 53% da população brasileira estão com excesso de peso e 45,8% praticam atividade física insuficiente. Realizado em 2017, o estudo envolve entrevistas feitas por meio do telefone, com participação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Os dados sobre a obesidade infantil também são alarmantes. Nas últimas quatro décadas, o número de crianças e adolescentes de até 17 anos com sobrepeso aumentou em 10 vezes. O Ministério da Saúde aponta ainda que a obesidade atinge 13% dos meninos e 10% das meninas nesta faixa etária.

Veja mais notícias