Voltar

Novembro Roxo: pré-natal pode evitar a prematuridade

Novembro Roxo: pré-natal pode evitar a prematuridade

Com aquisição de mais um hospital beneficiários da Clinipam GNDI ganham maternidade própria com UTI Neonatal referência para atender prematuros

Neste dia 17 de novembro comemora-se o Dia Mundial da Prematuridade. A data faz parte do calendário do Novembro Roxo, mês dedicado à realização de ações para conscientizar a população sobre os cuidados especiais que devem ser adotados com os bebês que nascem prematuros – antes da 37ª semana completa de gestação. A cor roxa é usada como símbolo das campanhas em todo o globo por representar sensibilidade e individualidade, características peculiares dos bebês prematuros.

Um levantamento da Organização das Nações Unidas (ONU) estima que, todos os anos, cerca de 15 milhões de crianças nascem prematuras no mundo todo. Além disso, um estudo chamado “Prematuridade e suas possíveis causas”, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), aponta que a prevalência de partos de crianças prematuras no Brasil chega a 11,7%. Essa porcentagem coloca o País na décima posição entre as nações onde mais nascem bebês prematuros.

O caminho mais adequado para mudar essa realidade é o pré-natal: fundamental para garantir uma gestação segura. Na Clinipam, uma empresa do Grupo NotreDame Intermédica, todos os cuidados com as gestantes são reforçados pelo Programa Gestante Bem Cuidada. Taciana Bonete, Gerente Executiva de Coordenação do Cuidado, explica que as causas da prematuridade são multifatoriais e podem levar a comprometimentos de curto a longo prazo. “É fator de risco para o recém-nascido e pode gerar complicações na vida infantil, estendendo à vida adulta”, diz.

Existem diferentes classificações para caracterizar os bebês prematuros. Naqueles que nasceram com idade gestacional entre 32 a 37 semanas incompletas, a prematuridade é classificada como moderada e tardia; os bebês que nasceram entre 28 e 32 semanas são considerados muito prematuros; e aqueles que nasceram antes das 28 semanas são extremamente prematuros.

Em relação ao peso, os recém-nascidos com até 2 quilos são classificados como de baixo peso; aqueles que vêm ao mundo com até 1,5 quilos são considerados bebês de muito baixo peso; e, por fim, aqueles que nascem com menos de 1 quilo são caracterizados como extremo baixo peso. “Todos esses bebês são um desafio para a assistência obstétrica”, afirma Taciana.

Clinipam GNDI possuem maternidade própria

A aquisição recente do Hospital e Maternidade Santa Brígida pela Clinipam GNDI vai melhorar ainda mais o atendimento às gestantes e recém-nascidos que são beneficiários do plano de saúde. A unidade materno-infantil contempla 72 leitos, sendo 15 de UTI, 7 salas obstétricas, ambulatório próprio e 3 consultórios de pronto socorro, além de uma ala diagnóstica com ultrassonografia, radiografia e laboratório de análises clínicas. “O Santa Brígida é um dos hospitais mais tradicionais do Paraná, com infraestrutura completa, moderna e com capacidade de 680 consultas semanais. Para nossos beneficiários, principalmente para as mães, é um privilégio contar com uma maternidade própria, com plantão 24 horas, especializada em gestação de alto risco e UTI Neonatal”, diz Vanessa Almeida, Coordenadora de Relacionamento com o Cliente do Hospital e Maternidade Santa Brígida.

Reconhecido pela excelência no tratamento de bebês prematuros ou que precisam de cuidados intensivos logo após o nascimento, o Santa Brígida abriga o primeiro Centro de Seguimento de Prematuros em um hospital privado no Paraná, desde 2017. Lá os bebês são monitorados por uma equipe multidisciplinar, que acompanham seu desenvolvimento após a alta hospitalar. O objetivo é o diagnóstico precoce, capaz de sugerir intervenções imediatas para garantir a saúde integral destes pacientes. O hospital também se destaca pelo atendimento humanizado na UTI Neonatal, onde não há restrição de horário para permanência dos pais.

Taciana Bonete destaca que, mesmo quando os recém-nascidos estão na UTI Neonatal, o contato com a mãe é fundamental. “Eles reconhecem a figura materna pelo toque, pela voz, batimentos cardíacos e cheiro. Por isso, assim que estiverem com um quadro estável e puderem sair da incubadora, devem ir para o colo da mãe e de outros familiares. As mamães também devem amamentar e se o bebê não puder sugar o leite dos seios, esse alimento pode ser administrado por sonda. Nesse caso, as mães devem fazer a ordenha. Mesmo o colostro é muito importante para a saúde dos bebês”, observa a coordenadora assistencial do Centro Clínico Ginecológico e Obstétrico da Clinipam GNDI.

Outras ações do Novembro Roxo

Desde o ano passado, os momentos vividos pelas famílias nas instalações do Santa Brígida são eternizados numa cápsula do tempo. Os pais são convidados para escrever uma carta e contar sobre as emoções e a ansiedade que permearam os primeiros dias de vida dos recém-nascidos que passaram pela UTI Neonatal: um desafio para eles e para as famílias.
O documento, além de um registro histórico, é uma prova de superação, que mostra que todas as dificuldades impostas pela prematuridade podem ser vencidas. As cartas escritas em 2019 serão abertas nesse mês, com a presença dos pais, durante as ações do Novembro Roxo. “Como demonstração de nosso carinho, os pais recebem ainda um diploma e asas de anjo e coroas de crochê, confeccionados por uma de nossas colaboradoras. A cor roxa, que simboliza essa causa também aparece nas camisetas da equipe que acompanha a trajetória destes bebês”, conta Patrícia Haus, coordenadora de enfermagem da UTI Neonatal do Hospital e Maternidade Santa Brígida.

Com certeza, tantas histórias reais com final feliz são uma inspiração para os profissionais que trabalham diretamente no atendimento aos pacientes prematuros, além de uma fonte de esperança para quem está vivenciando essa situação no presente. E para os pais que são diplomados por terem superado todas as sequelas da prematuridade, reviver a própria história, agora no papel de telespectadores, tem um gostinho especial, de vitória, de renascimento.

Veja mais notícias