Voltar

Exercícios físicos e alimentação equilibrada para combater a obesidade infanto-juvenil

Exercícios físicos  e alimentação equilibrada para combater  a obesidade infanto-juvenil
No Mova-se toda a família participa do processo de mudanças de hábitos em busca de um estilo de vida mais saudável

A epidemia de obesidade que avança pelo mundo começa na infância, como revela um estudo realizado em 2017 por pesquisadores da Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Imperial College de Londres. Eles descobriram que o percentual de crianças e adolescentes obesos aumentou oito vezes em quatro décadas.
Aqui no Brasil os dados também são alarmantes. O Ministério da Saúde aponta que a obesidade atinge 13% dos meninos e 10% das meninas nesta faixa etária. “Tivemos crescimento de 289% de obesidade infantil nos últimos 20 anos no Brasil. O contexto atual é grave e preocupante”, sinaliza Cintia Dilay, gerente do Centro de Qualidade de Vida (CQV) da Clinipam.
O médico da Clinipam, Arnaldo Cassilha, defende que a falta de exercícios e de uma alimentação equilibrada são os principais fatores que levam ao sobrepeso. “O cenário se agrava pelo estilo de vida moderno: com ampla oferta de produtos hipercalóricos nas prateleiras de supermercados e pelo sedentarismo. As brincadeiras ao ar livre, nas praças, que gastavam energia, foram substituídas pelo vídeo game e televisão”, argumenta.
Mova-se
O CQV é uma unidade da Clinipam especializada na prevenção e tratamento de doenças crônicas, como a obesidade. Os profissionais que participam das ações do CQV criaram dois programas específicos sobre o tema: o SOS Balança (adultos) e o Mova-se (Infantil).
O Mova-se atende pacientes de 6 a 16 anos com sobrepeso ou obesidade. Uma equipe multidisciplinar formada por médicos, educadores físicos, psicólogos e nutricionistas faz o acompanhamento individual das crianças e promove encontros em grupo, sempre com a participação dos pais. É uma maneira de envolver toda a família no processo de perda de peso e manutenção do estilo de vida saudável. “Os encontros são bem dinâmicos e a família leva tarefas para realizar em casa. Ministramos aulas com dicas de preparo de alimentos saudáveis, realizamos jogos e atividades lúdicas, além de todo o acompanhamento emocional necessário para a mudança de hábito. Sabemos que a alimentação também tem relação com o psicológico”, detalha Cintia.
Os pais desempenham um papel importante em todo o processo de perder peso. Aliás, é o estado nutricional deles que determina, muitas vezes, o peso filhos - seja em relação a questões genéticas ou ambiental/comportamental. “As crianças e adolescentes seguem padrões e, se toda a família não mudar os hábitos em conjunto, o insucesso do tratamento é certo. No Mova-se, pais e filhos aprendem que a qualidade de vida depende de alimentação equilibrada e prática de exercícios físicos. A reeducação alimentar é implantada de forma gradativa: negociando a substituição dos alimentos, despertando novos prazeres e sugerindo novos alimentos que sejam saudáveis”, alerta Arnaldo Cassilha.
Ele acrescenta que o sobrepeso, que está um degrau abaixo da obesidade, é um caminho que leva a várias patologias (comorbidades), que causam sérios danos à saúde, como: hipertensão, diabetes, problemas ósteo articulares, hiperlipidemia (aumento no colesterol e triglicerídeos), gordura no fígado, apneia e refluxo gástrico. Nos adolescentes, ainda pode desencadear AVC e infarto. “Isso sem falar no impacto na autoestima, transtornos psicológicos e diminuição da qualidade de vida”, destaca o médico.
Resultados
A primeira edição do Mova-se atendeu 35 crianças. Os resultados foram positivos: 63% dos pacientes tiveram mudanças significativas na alimentação e 68% iniciaram alguma atividade física durante o programa. A gerente do Centro de Qualidade de Vida da Clinipam comemora: “ao todo também foram eliminados 33 quilos. A perda de peso é uma consequência natural das ações do Mova-se. O nosso foco principal é promover mudanças positivas na vida das famílias, de forma integrada e humanizada”, diz Cintia.

Veja mais notícias