Voltar

Envelhecimento ativo: já ouviu falar disso?

Envelhecimento ativo: já ouviu falar disso?

Hábitos alimentares e estilo de vida atuais vão definir como será sua saúde no envelhecimento; a Clinipam preparou algumas dicas para te ajudar a viver com mais qualidade de vida em todas as fases. Comece já!

Você sabia que até 2025 o Brasil será o sexto país do mundo em número de idosos? Essa informação é da Organização Mundial da Saúde (OMS). Entre 1980 e 2000 a população com 60 anos ou mais cresceu 7,3 milhões, totalizando mais de 14,5 milhões no começo da última década. Além disso, a própria média da expectativa de vida também aumentou acentuadamente no país.
No entanto, para que a população viva melhor e possa usufruir com qualidade de vida dos anos a mais, é preciso pensar na saúde desde já. Afinal, em qualquer etapa da vida é aconselhável praticar atividades físicas no cotidiano e no lazer, adotar uma alimentação equilibrada, reduzir o consumo de álcool e eliminar o tabagismo. Essas atitudes são bem simples e vão contribuir para um envelhecimento saudável com um ganho substancial em qualidade de vida e saúde.
E quando falamos em envelhecimento saudável não podemos esquecer que essa é uma escolha individual, ou seja: a mudança de hábitos e a adoção de um estilo de vida saudável só depende de você. E se quisermos que o envelhecimento seja uma experiência positiva devemos investir naquilo que a OMS chama de “envelhecimento ativo” desde já.
Mas, na prática, o que isso significa? O envelhecimento ativo incentiva as pessoas a perceberem o seu potencial para o bem-estar físico, social e mental ao longo do curso da vida e não apenas quando chegam à idade avançada. Trocando em miúdos, é hoje que começamos a definir a saúde que vamos ter amanhã.
Vale lembrar que a palavra “ativo” não diz respeito apenas á ideia de movimento físico. Viver ativamente significa continuar contribuindo – mesmo que no papel de aposentados ou com algumas doenças e limitações – com seus familiares, amigos e com a comunidade.
Afinal, como diz a antiga expressão que deriva do latim, “mente sana corpo sano”, a saúde é resultado do bem-estar do corpo e da mente. Atividades de lazer e o convívio social também são essenciais quando falamos da saúde dos idosos.
E se você que está lendo esse texto já está pensando no envelhecimento ativo, a sugestão da Clinipam, que se preocupa com a saúde dos seus beneficiários de forma integrada, a primeira medida é a mudança de hábitos!
 Adote um estilo de vida saudável
A sua saúde é determinada, em grande parte, por seu estilo de vida. Muitas doenças podem ser evitadas ou controladas com a ajuda de uma alimentação saudável e exercícios físicos regulares, como hipertensão, problemas cardiovasculares, diabetes, entre outras.
 Os exames médicos de rotina também devem ser levados a sério. O diagnóstico precoce favorece a cura de várias doenças, como o câncer. Visite regularmente seu médico de família e faça os exames que ele julgar necessário.
Siga nossas sugestões, passo a passo, e melhore a sua qualidade de vida em qualquer fase da vida:
- Escolha uma alimentação equilibrada (prefira alimentos in natura aos industrializados).
- Inclua exercícios na sua rotina.
- Durma bem: o sono é um aliado da saúde.
- Monitore o estresse: procure formas de relaxar e aliviar a tensão diária.
- Reserve momentos para o lazer.
- Abandone o cigarro.
- Consuma bebidas alcóolicas com moderação.
- Evite a automedicação: procure seu médico de família quando não estiver se sentido bem.
Como evitar o Alzheimer?
Um dos males que mais causa pânico nas pessoas quando o assunto é o envelhecimento é o Alzheimer. Essa doença costuma aparecer com maior frequência a partir dos 65 anos. Acomete, principalmente, a população feminina e leva os pacientes a desenvolver um quadro de demência e perda da memória, que vai se agravando com o passar do tempo.
O Alzheimer é uma doença caracterizada pela atrofia e deterioração lenta e progressiva do cérebro, o que acaba afetando as funções cognitivas, especialmente a memória. A locomoção, a deglutição e comunicação em casos mais avançados também são prejudicadas pelo mal de Alzheimer.
A doença não rem cura e o tratamento consiste na preservação das funções cerebrais que ainda não foram afetadas, assim como amenizar sintomas como a depressão e a insônia. Além disso, essa enfermidade está associada a fatores genéticos.
A boa notícia é que o Alzheimer, assim como grande parte das doenças crônicas, pode ser prevenido com a adoção de práticas saudáveis, como recomendamos logo acima. Outra dica é estimular a cabeça: manter a mente sempre ativa, com atividades que estimulam os pensamentos e a memória, é uma das principais maneiras de se prevenir do Alzheimer e evitar que essa doença avance.
Investir em atividades intelectuais vão ajudar bastante na prevenção: aprender uma nova língua, tocar um instrumento musical, ler com frequência e se divertir com jogos de estratégia, como xadrez, palavras-cruzadas ou montar quebra-cabeças são uma boa pedida!
Agora que você já está por dentro de tudo sobre o envelhecimento ativo, é só levantar do sofá, deixar a preguiça de lado e exercitar seu corpo e sua mente!

Veja mais notícias