Voltar

A doação faz parte da estrada da vida de Adilson, motorista do Projeto Acolher

A doação faz parte da estrada da vida de Adilson, motorista do Projeto Acolher


Adilson Klein, 39 anos, é o motorista do Projeto Acolher na Clinipam. É ele quem dá as boas-vindas e começa o atendimento dos pacientes de Santa Catarina que precisam se dirigir até Curitiba para fazer exames, consultas e cirurgias.

Paciente e bom comunicador, adquiriu essas habilidades quando trabalhou no pós-venda numa empresa que comercializava carros. E esse talento, de saber se relacionar bem com as pessoas, é fundamental para a função que ocupa na operadora de saúde desde 17 de outubro de 2018, logo após a aterrisagem da Clinipam em solo catarinense.

Muitas vezes, os pacientes que precisam se deslocar para o atendimento médico na capital paranaense já estão fragilizados, por conta dos problemas de saúde, e ainda sentem insegurança pelo fato de precisarem viajar com alguém desconhecido no comando da direção.

É nessas horas que toda a empatia de Adilson faz a diferença: no primeiro contato com os pacientes ele explica que a viagem será tranquila, no limite da velocidade, com muita segurança. Como ele próprio diz, todos precisam voltar para casa sãs e salvos para cuidar da sua família, inclusive o motorista. E é esse carinho e amor ao próximo que o profissional transmite para os doentes, já na primeira impressão, que os tranquiliza para pegar a estrada. O sorriso e a disposição de Adilson são capazes de desfazer qualquer cara amarrada dos passageiros.

O reconhecimento à dedicação do motorista por parte de pacientes aparece em forma de presentes, muitas vezes bem inusitados, como ovos caipira, vidros de conserva, e até chá de espinheira santa. Seu Enio caiu de moto, rompeu o ligamento do braço direito e teve várias fraturas no fêmur. Por conta disso, precisou fazer o trajeto Jaraguá do Sul – Curitiba por diversas vezes.

Com limitações físicas severas, o paciente já precisou ser levado até sua cama por Adilson após procedimentos cirúrgicos. E na conversa durante as viagens, nasceu uma amizade verdadeira. Seu Enio conhece os problemas de Adilson e faz a parte dele para ajudar e demonstrar sua gratidão: as folhas de espinheira santa, por exemplo, foram recomendadas pelo paciente para tratar a dor de estômago do motorista.

Nessa relação de afeto, a preocupação com o outro é uma via de mão dupla. Adilson pretende levar o amigo até o Morro da Antena, um ponto turístico de Jaraguá do Sul, com o próprio carro. Lá tem uma igreja que Enio quer conhecer, mas o acesso é difícil e o transporte em modelos 4x4 oferecem mais conforto no trajeto.

Fazer o bem sem olhar a quem poderia ser a frase escolhida por Adilson para nortear sua vida. Seu Enio é apenas mais um dos felizardos que cruzaram os caminhos do motorista. Cuidar dos outros é uma vocação que parece estar no seu DNA, já que, no tempo ocioso, trabalha como bombeiro voluntário. Não importa que não receba recompensa monetária, porque a sensação de ajudar os outros é mais valiosa e não tem preço, na visão do motorista da Clinipam.

Mesmo com a rotina atribulada, Adilson ainda tem tempo de praticar o esporte que mais gosta: a canoagem. Ele é presidente do Clube de Canoagem Canoagem Kentucky e já angariou novos sócios para a entidade, entusiasmados por ele durante as viagens de trabalho. O motorista já foi um competidor do esporte e agora transmite tudo o que aprendeu sobre a modalidade ao seu filho.


Em todos os campos da vida de Adilson, a doação do seu tempo está sempre presente. E nós, da Clinipam, somos privilegiados por ter alguém com esse perfil tão solidário no nosso quadro de colaboradores!


Clique aqui e conheça também a história de Rubens Lieto Massuda e seus 35 anos de Clinipam 


Veja mais notícias