Voltar

Anne é uma das borboletas mais belas no jardim da Clinipam

Anne é uma das borboletas mais belas no jardim da Clinipam

Os olhos azuis de Annegret Buerger, mais conhecida como Anne entre os colaboradores da Clinipam, ficam marejados imediatamente quando ela começa a contar a sua trajetória na operadora. São 33 anos dedicados à empresa, com muito amor. E esses mesmos olhos azuis lacrimejados que traduzem a emoção dessa caminhada, são testemunhas oculares da história da companhia.

A Clinipam nasceu pequena, no Shopping Mueller, e começou a dar os primeiros passos quando transferiu sua sede para a Avenida Visconde de Guarapuava. Foi nesse momento que Anne ingressou na operadora. Era uma espécie de faz tudo: atendia telefones, marcava consultas, agendava exames, organizava os prontuários e dava as boas vindas aos clientes, com um sorriso largo no rosto, típico de quem ama o que faz. 

“Naquela época, tudo era feito na ponta do lápis”, relembra a senhora saudosista do tempo em que todos os processos administrativos e burocráticos de um consultório médico eram feitos à mão, sem a ajuda dos softwares e dos computadores.   

A memória afiada de Anne reflete a saúde mental da senhora de 76 anos, que jamais parou no tempo. Fez apenas uma capacitação para se tornar recepcionista e todo o resto aprendeu e continua aprendendo na prática, diariamente.   

Desde que entrou na operadora, já teve um contato bem próximo com toda a equipe, que considera sua segunda família. E essa conexão, para ela, é tão forte quanto aquela relacionada aos laços sanguíneos. Esse vínculo é resultado do convívio diário, pautado no respeito, na empatia e no espírito de parceria, que norteiam o cotidiano das pessoas que, como ela, transformaram a Clinipam na sua segunda casa. 

Esse amparo recebido por Anne na esfera do trabalho foram responsáveis por sua evolução como colaboradora da Clinipam e como pessoa. Todo esse processo pode ser comparado à jornada das borboletas, como reflete o escritor Rubem Alves. Nas palavras dele: “não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses”. 

E foram as pessoas, que passarem pela vida daquela jovem recepcionista no ambiente de trabalho que a moldaram nesse ser humano incrível e tão especial. Devota a Deus, uma das coisas que mais gosta hoje em dia é observar o rosto dos transeuntes na Rua XV - endereço onde exerce a função de telefonista agora na Clinipam. Ela se admira, com tantas feições, tão diferentes, tão raras, frutos da imaginação do nosso Criador. 

As pessoas sempre foram o referencial de vida para Anne. E na Clinipam, além de não abrir mão da convivência com os colegas de trabalho, gostava muito do contato com os pacientes. “Me fazia muito bem poder dar uma palavra de consolo para aqueles que chegavam até o balcão de atendimento fragilizados, em virtude de um problema de saúde. Eu sempre trazia palavras de esperança e depois eles voltavam para me agradecer. Ganhei tantos presentes, muitas caixas de bombons e até um anel de prata. Nem sei se merecia tudo isso”, argumenta Anne. 

Foi esse amor, essa troca e essa reciprocidade encontrada no dia a dia na Clinipam que alimentaram o sentimento de pertencimento à empresa e que conduziram Anne a sua emancipação. Como na descrição da vida da borboleta, feita por Rubem Alves, a então recepcionista logo ganhou asas. Na quietude ela se libertou e, em pequenos atos, mostrava como, na sua função, também ocupava um papel de liderança. 

Esse comportamento pode ser observado quando Anne conta – com muita alegria - alguns episódios. Nas greves dos ônibus ela tomava iniciativa e o controle da situação para manter, a todo custo, o bom funcionamento da Clinipam. Pilotando seu fusca branco, conseguia chegar em tempo para abrir a unidade e não deixar nenhum paciente na mão. 

E é por isso que Anne continua sendo uma referência na empresa. Depois de passar pela sede da Vicente Machado e pelo Hospital Ônix, está lotada na Rua XV, no edifício Sul Banco, onde funciona a sede administrativa da empresa. Lá ela divide seu tempo entre os telefonemas e algumas tarefas administrativas. 

Aos 76 anos, Anne conserva o vigor da juventude na aparência e no comportamento. Cabelos e unhas feitas e a pele muito bem cuidada, refletem a personalidade de alguém que está em paz com a vida. Durante a semana faz caminhadas para cuidar da saúde e passa suas horas de folga na companhia do namorado. Nos finais de semana almoçam fora e os pratos prediletos de Anne são lasanha, carne assada, peixes e quitutes da culinária alemã, da qual é descendente. 

Os dois têm rodinha nos pés. Quando não estão por aí no Fusca Branco, de grande estimação, encontram disposição para viajar para Quedas do Iguaçu, onde mora parte da família na nossa senhora aventureira, e para Santa Catarina, sua terra Natal. Pomerode e Camboriú são os destinos preferidos. O fato da expansão da Clinipam para o solo catarinense, inclusive, enche Anne de orgulho. “Eu dizia para minha mãe, que faleceu em agosto de 2019: agora tem Clinipam em Pomerode.” 

Com tanto entusiasmo, Anne não pensa em parar. A aposentadoria não está nos planos dela. “Vou continuar na Clinipam até quando Deus quiser”, finaliza.

Anne, especialmente neste mês em que comemoramos o Dia Internacional da Mulher, queremos dizer que a senhora é uma inspiração para todos nós! Obrigada por compartilhar toda sua energia positiva conosco, diariamente. Seu profissionalismo foi essencial no nosso passado e continua sendo no tempo presente. E que o futuro nos reserve muitos momentos especiais aqui, onde a senhora considera ser seu segundo lar. Queremos muito contar com sua dedicação nos próximos capítulos da história da Clinipam.  

Veja mais notícias