Voltar

Por que a amamentação cruzada é contraindicada?

Por que a amamentação cruzada é contraindicada? É consenso entre os profissionais da saúde do mundo todo que o leite materno é o alimento mais completo para os recém-nascidos até os seis meses de vida. Por isso, muitas mães fazem qualquer negócio para oferecê-lo para seus filhos. Antigamente, as mulheres que não conseguiam amamentar seu bebê recorriam às amas de leite. Essa prática é chamada cientificamente de amamentação cruzada e é contraindicada desde 1985, quando o vírus da Aids começou a ser disseminado mundo afora.

A desaprovação formal dessa prática foi feita pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O motivo é que a amamentação cruzada apresenta riscos para o bebê que está sendo alimentado. Se a mulher que estiver amamentando apresentar alguma fissura mamilar sangrante ela pode transmitir doenças para o recém-nascido. Além do HIV, o bebê pode contrair várias doenças infectocontagiosas, como a hepatite B. Mesmo em casos em que a mulher não apresente nenhuma doença até aquele momento, ela pode estar na janela imunológica: período entre a infecção e a produção de anticorpos pelo organismo.

É importante ressaltar que os recém-nascidos não têm o seu sistema imunológico formado e são mais suscetíveis a contrair enfermidades. No caso da hepatite, apesar do bebê receber as vacinas, pode levar um tempo até criar células de defesa. Vale lembrar que o sistema inteiro vacinal da hepatite é composto por 3 doses e o HIV, até hoje, não tem cura ou vacinação.


Bancos de leite substituem a amamentação cruzada com segurança

Uma mulher que apresenta dificuldade para amamentar pode procurar os bancos de leite humano (BLH) ou profissionais capacitados para atender essa demanda, como médicos pediatra e enfermeiros. Algumas mães podem se sentir inseguras em aceitar leite doado por banco de leite, afinal as doadoras são pessoas desconhecidas. No entanto, o alimento é super seguro. O leite dos BLH é preparado, pasteurizado e, por isso, isento de qualquer possibilidade de transmissão de doenças.

 
Benefícios do leite materno

Já falamos sobre esse assunto em outros posts, no entanto, sempre vale a pena reforçar os benefícios da amamentação para a saúde dos bebês. O leite materno é uma substância viva, adequada às fases de vida de cada criança. Isso significa que mãe de um prematuro, por exemplo, irá produzir um leite específico para um bebê naquela faixa etária. Além disso, se o recém-nascido estiver com algum contágio esse alimento vai contribuir para a defesa do organismo no combate àquela infecção. O corpo da mulher entende que precisa liberar mais anticorpos na produção desse alimento rico, capaz de proteger os bebês. Além de interferir na imunidade, a amamentação cria vínculo afetivo entre a mamãe e o filhote.


Para acessar mais conteúdos exclusivos, preparados pela nossa equipe multidisciplinar do Gestante Bem Cuidada, inscreva-se no programa. É só mandar uma mensagem para nós por e-mail gestantebemcuidada@gmail.com.br ou WhatsApp (41) 98858-5739.

Veja mais notícias