O especialista



O Pediatra é quem escolheu como profissão cuidar de crianças, acompanhando seu crescimento e desenvolvimento. Além de medir, pesar e examinar, trata as doenças que acometem os pequenos, buscando o melhor tratamento e medicação. A grande responsabilidade de um Pediatra é auxiliar a família a desempenhar com excelência o papel de cuidar da formação da criança, bem como na prevenção de possíveis doenças que possam acontecer a ela.

Depois de se formar em Medicina, esse profissional escolhe a Pediatria para fazer sua especialização e residência. É necessário gostar de crianças e ter paixão por ajudar famílias que buscarem pela sua ajuda. O Pediatra precisa constantemente estudar para manter-se atualizado e inteirado das novidades quanto a tratamentos, medicamentos, aparelhos para exame etc., a fim de poder oferecer o que há de melhor e mais novo aos seus pacientes.

Esse profissional poderá atuar na rede pública de saúde, bem como em clínicas particulares. É possível também trabalhar como voluntário em ONGs.

A criança



Um ser humano tão pequeno e que depende de todo o cuidado e atenção da família, a criança em fase de crescimento e aprendizagem carece que os responsáveis a forneçam tudo que é necessário para um amadurecimento saudável. A sua formação se dará pelas condições em que ela cresce, as descobertas que faz, a educação e cuidados que recebe.

É por isso que o papel de um Pediatra é tão importante na infância dos pequenos, pois ele atuará em conjunto com os pais, visando sempre o melhor para o desenvolvimento e bem-estar dessa criança.

Principais doenças pediátricas

Asma



Comum na infância, a asma é uma doença das vias aéreas, que provoca dificuldade respiratória, tosse, e chiado no peito, ao respirar. Os brônquios ficam inflamados e pode haver períodos de crise com durações variáveis, de dias ou minutos, leves ou mais agravadas. Durante um ataque da doença, acontece a inflamação das membranas mucosas que revestem as vias aéreas. Os músculos dos brônquios sofrem espasmos, causando uma diminuição no tamanho dessas vias, fazendo com que falte o ar.

Febre



A febre funciona como um aviso de que há algo errado no corpo da criança. O organismo está combatendo algum tipo de infecção e passa a funcionar de maneira diferente: os macrófagos, células que vigiam a saúde do corpo, estão sempre alerta e quando encontram algo errado, como fungos, vírus ou bactérias, tentam eliminar a maior parte, mas também pedem socorro, dando sinais para o cérebro aumentar a temperatura do corpo. A febre é um alerta e deve ser levada muito a sério.

Otite



Geralmente a otite é acompanhada de resfriado e febre, e causa fortes dores de ouvido. Os sintomas mais comuns são: perda de apetite, choro ao dormir, diarreia, vômito, saída de secreção e cheiro ruim no ouvido, além de dificuldade auditiva. Há febre, pois o corpo está combatendo a infecção e é necessário combatê-la com antibióticos. É importante levar seu filho ao Pediatra, pois ele saberá avaliar a gravidade da otite, bem como o melhor tratamento.

Amigdalite



A inflamação das amídalas causa uma forte dor de garganta e que muitas vezes vem acompanhada de febre alta. As infecções das amídalas causadas por vírus, são muito comuns e acontecem geralmente quando a temperatura está mais baixa. A criança sente dor para engolir alimentos, febre, desconforto. O tratamento pode ser feito com antibióticos, bem como com a remoção das amídalas, caso a amigdalite ocorra com muita frequência.

Prevenção


Crianças precisam ter constante supervisão dos pais quanto à alimentação, higiene, hidratação e vacinação. É necessário que o pequeno tenha todas as vacinas em dia, para se proteger de doenças como Catapora, Sarampo, Caxumba, Rubéola, etc.

Alimentação: Capriche na educação alimentar dos pequenos, inserindo sempre o que é necessário para que cresçam saudáveis e livre de doenças. Aposte sempre nas frutas, verduras e legumes. A Anemia, Obesidade e a Diabetes são doenças que podem acometer as crianças, por isso todo cuidado é pouco com a alimentação dos pequenos. Não esquecer da hidratação, que prioriza a água e os sucos naturais, pois as vezes quando se entretém em brincadeiras, acabam esquecendo de ingerir líquidos.]



Higiene: outro ponto extremamente importante, seja na escola ou em casa devemos cuidar da lavagem das mãos antes de todas as refeições, higienizar os alimentos antes do consumo, evitar compartilhar itens pessoais, manter as unhas dos pequenos sempre cortadas, limpá-los corretamente a cada troca de fraldas, e, quando maiores, ensiná-los a se limparem bem a cada evacuação. É necessário proporcionar um locar limpo para a criança brincar, assim se evita que ela tenha contato com fezes de animais, sujeiras e outros fatores de risco.




Consulte sempre um médico.

Guia Médico