O especialista



Responsável pela diagnóstico e tratamento de doenças que afetam o sistema nervoso, o Neurologista é o profissional que precisa estar constantemente em processo de estudos, em busca de novas tecnologias, medicamentos e tratamentos. Ele precisa ser uma pessoa apaixonada pelo que faz, saber colocar-se no lugar de seus pacientes, ter paciência, saber ouvir e se esforçar para ajuda-los da melhor forma. Se trabalhar em hospitais, precisa ter o autocontrole perante situações de casos de extrema urgência, como acidentes, por exemplo, em que os pacientes costumam chegar em estado grave. Agir sob pressão e ter equilíbrio emocional também é primordial.

Depois de concluir a graduação em Medicina, é ainda necessário que esse profissional passe pela residência, que nada mais é que um período de dois anos em que o recém-formado trabalha em um hospital, porém tem seu trabalho acompanhado por outros profissionais que já atuam na área que ele escolheu.

O Neurologista receberá o paciente, precisará ouvir todos os sintomas que ele está sentindo, levantar questões pertinentes e examiná-lo, para que consiga realizar o diagnóstico. Caso necessário, ele irá pedir exames específicos, realizar cirurgias e acompanhar o paciente no pós-operatório.

O sistema nervoso



Composto de cérebro, tronco encefálico, cerebelo, medula espinhal e nervos, o sistema nervoso central é responsável por receber e processar informações, controlando todo o nosso corpo.

Cérebro: encarregado de fazer funcionar os cinco sentidos do corpo, bem como os movimentos de todos os membros. Responsável também pela memória, atos conscientes e inconscientes, além, é claro, do raciocínio, imaginação e inteligência.



Tronco encefálico: ele é o condutor dos impulsos nervosos entre o cérebro e a medula espinhal. É quem controla nossas atividades vitais, como respiração, batimentos cardíacos e reflexos, como espirro e tosse.



Cerebelo: incumbido pelo controle motor e sensorial, também mantém o equilíbrio do corpo.



Medula espinhal: localizada dentro da coluna vertebral, é um cordão constituído de tecido nervoso que está conectado ao tronco encefálico. Ela conduz os impulsos nervosos de todo o corpo, para o cérebro, além de coordenar os reflexos involuntários.



Nervos: eles levam as mensagens de todas as partes do corpo para o sistema nervoso central, além de fazerem o caminho de volta também, trazendo os comandos enviados pelo encéfalo e medula espinhal para as demais partes do corpo.



Principais doenças neurológicas

Alzheimer



Essa doença se apresenta, em sua maioria, nas pessoas com mais de 65 anos, principalmente nas mulheres. Um tipo de demência, o Alzheimer é a perda das funções cognitivas, que é quando as células cerebrais morrem. Incurável, ela se agrava ao longo do tempo. O idoso passa a esquecer de situações que aconteceram e tem dificuldade para reconhecer as pessoas que convivem com ele. Há também a dificuldade de lembrar onde guardou seus pertences, se orientar no tempo e espaço, além de ter toda a sua rotina e comportamento modificados, entre tantas outras dificuldades.

Meningite



Causada por vírus ou bactéria, a meningite é a inflamação das meninges, que são as membranas que envolvem o cérebro. Os sintomas são: febre alta repentina, pescoço rígido, náusea, fortes dores de cabeça, vômitos, confusão mental, falta de apetite, entre outros. O tratamento se dá por antibióticos intravenosos e cortisona. As complicações podem ser graves, tais como: falência dos rins, AVC, danos permanentes ao cérebro, perda de memória e até a morte.

Enxaqueca



Muito comum, a enxaqueca é uma forte dor de cabeça, que se apresenta como um latejamento em algum ponto específico da cabeça. Ela pode ser desencadeada por alguns alimentos, alterações hormonais, estresse e até exercícios físicos. Os sintomas mais comuns, além da dor latejante, é a náusea, sensibilidade à luz e sons, tontura, dor nos olhos, irritabilidade, entre outros. O tratamento pode ser feito com analgésicos, mas é importante consultar um neurologista.

Prevenção