O especialista



Esse profissional é responsável por estudar, diagnosticar e tratar as doenças e disfunções do aparelho digestivo. Além disso, a prevenção de doenças que acometem o sistema digestivo também deve ser promovida por esse profissional, que vai em busca de orientar os pacientes sobre maus hábitos que colocam a saúde em risco.

Para se tornar um gastroenterologista é necessário formar-se primeiramente em Medicina e depois disso ingressar em uma especialização de gastroenterologia e residência médica. É possível também fazer uma pós-graduação, mestrado e doutorado na área. Os profissionais de saúde sempre estão em busca de conhecimento, o aprendizado nunca acaba para eles e quanto mais ele se especializar, mais conceituado e capacitado será, além de ter seu trabalho mais reconhecido.

Sua atuação poderá se dar em clínicas médicas particulares ou públicas, realizando exames e cirurgias gastroenterológicas. Há também os consultórios e hospitais especializados em gastroenterologia, além das áreas de pesquisas e atuação no corpo docente de universidades.

O sistema digestivo




Composto por boca, faringe, esôfago, estômago, intestino e ânus, esse sistema é o responsável pela digestão de todos os alimentos ingeridos pelo ser humano, transformando-os em compostos necessários para a saúde do indivíduo, além da excreção do que não será preciso.

Resumidamente o caminho que o alimento percorre funciona da seguinte forma:

  • O processo se inicia pela boca, responsável pela mastigação e ingestão dos alimentos.
  • Eles seguem pela faringe, um tubo que conduzirá o que foi ingerido até o esôfago. Já ali, continuam seguindo em frente, impulsionados pelas contrações do órgão.
  • No estômago, o suco gástrico (altamente ácido) será o encarregado de digerir os alimentos, que em seguida são levados para o intestino grosso, que receberá esse bolo alimentar ácido. Com a ajuda de líquidos enviados pelo pâncreas e fígado, esse bolo se transforma em um material escuro e pastoso chamado de quilo, que contém o que há de melhor do que foi ingerido: proteínas, carboidratos e lipídios.
  • Absorvem-se os nutrientes e no intestino grosso ocorre a fermentação e decomposição dos restos alimentares, formando-se as fezes.
  • Por fim, o ânus fica responsável pela eliminação delas.
Algumas doenças gastroenterológicas



Hérnia de hiato

Ocorre quando uma pequena parte do estômago se projeta para fora, formando uma espécie de “bolsinha”. Essa hérnia, dificulta o fechamento completo do estômago, possibilitando o retorno do ácido que ele produz, fazendo com que ocorra azias, refluxos, tosse seca, mau hálito, arrotos, digestão lenta, vontade frequente de vomitar, queimação na garganta, etc. Isso ocorre sempre após as refeições e geram um desconforto sem tamanho.

Gastrite

Acontece quando a mucosa do estômago (revestimento) inflama. Os sintomas mais comuns são indigestão, azia, náuseas, vômitos, perda do apetite e dores abdominais. O uso abusivo de álcool e o estresse irritam essa mucosa intestinal, elevando os danos causados pelos líquidos gástricos do estômago.

Diverticulite

Uma alimentação pobre em fibras pode causar o surgimento de pequenas bolsas na parede do intestino, elas inflamam e ficam infectadas pelas fezes. Dores no abdômen, inchaço, gases, perda do apetite e náuseas são sintomas comuns dessa doença, podendo também ocorrer sangue juntamente com as fezes.

Prevenção ou principais tratamentos




A alimentação aliada a exercícios físicos são a melhor maneira de se prevenir as doenças gastrointestinais. Ingerir alimentos ricos em fibras, beber muita água diariamente e não abusar de álcool e tabaco, são hábitos saudáveis que devemos ter. A obesidade também é uma causa comum de doenças digestivas, além do stress, um inimigo silencioso.

Consulte sempre um médico.

Guia Médico